O Sangue dos Vampiros - clique aqui

O Sangue dos Vampiros - clique aqui
conheça mais sobre o livro O Sangue dos Vampiros - 2017

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa
Livro que pode ser adquirido diretamente com a autora - clique no banner para conhecer o blog da autora.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

O Desespero no Cinema


O Desespero no Cinema 
O Vampiro Neculai começa a produzir o seu filme

— Onde estou? Que lugar é este? Não tem ninguém neste quarto. Nem janela. Sem móveis. Socorro! Alguém me tire daqui! Ninguém está me ouvindo. Calma Leonardo! Pense... Qual é a última coisa que lembro? Aquela mulher de preto. Eu estava tomando meu café e ela apareceu. começou a falar comigo. Atendi o celular e falei com a Deimante, a atriz que eu sou agente. Depois eu me lembro de continuar tomando café e apaguei... Meu celular. Onde está? Ali no canto do quarto. Que bom ainda tem bateria. Vou pedir ajuda.
— Alô? Policia! Estou preso em um lugar...
— Acha que a policia vai em um lugar que nem você sabe onde é?
— Quem está falando? Eu liguei para a policia!
— Não importa o número que você discou. Eu sempre vou atender.
— M-mas que loucura é essa? Quem está falando?
— Eu sou o Neculai! Você está neste quarto porque eu escolhi você para fazer parte do meu novo filme. E você é a minha vitima, quer dizer, o meu ator principal.
— Neculai? O vampiro? Sei quem é você seu assassino. Você queria que a Deimante participasse do seu novo filme. Pode parar de me chantagear. Eu não tenho medo de você assassino. Deixe-me sair agora daqui e posso pensar em não processá-lo.
— Eu não quero negociar Leonardo. Você sempre explorou as suas atrizes. Vivia pedindo sempre mais dinheiro para ficar cada vez mais rico enquanto deixava elas ganhando uma ninharia por causa dos seus contratos sujos. Agora você vai ser humilhado e eu vou gravar tudo para que saibam o que eu faço com pessoas como você. Esta vendo dois pares de botas no canto do quarto. Um par é da minha amiga Grazi e o outro é da mulher que você encontrou mais cedo, que te drogou no café. A Marina Dark. Você vai beijar e lamber essas botas. Eu vou filmar tudo. Vai lamber e pedir desculpas para todas as atrizes que enganou.
— Eu jamais farei isso Vampiro Assassino. Vou rir quando estiver preso por me aprisionar aqui.
— Eu não vou mais te aprisionar, mas sugiro que leve as botas pois você vai encontrá-las pelo caminho e isso poderá te salvar. Lembre-se que você está sendo filmado e tudo que disser vai ser divulgado para milhões de telespectadores. Agora pode sair. A porta está aberta.
— Você vai me pagar por isso Neculai! Nem que eu passe a minha vida processando você. Agora vamos ver. Sim a porta está destrancada. Mas que droga. Estou em um pequeno corredor com duas portas. Uma tem o nome de Grazi e a outra de Marina, a mulher que me drogou, vou acabar com essa mulher. Vou ensinar que não se engana um cara como eu.
— Olá Leonardo. Vejo que escolheu a minha porta. Já que trouxe minhas botas, coloque-as em mim, beije-as e se desculpe.
— Sua vagabunda eu vou acabar com você.
— Você acha que pode me tratar assim? Peça desculpas agora ou vai se arrepender.
— Nunca! Eu vou lhe dar o que merece. Mas... o que é isso? Estão saindo lobos alados do seu celula? Isso é alguma brincadeira.
— Brincadeira? Não Leonardo. Eles são bem reais. Ataquem meu queridos.
— M-mas o que. Argh! Socorro! Pare! Argh! Estão me mordendo! Me ajudem! Piedade!
— Podem parar amigos. Agora Leonardo. Se não quiser ser devorado pelos meus amigos lobos. Coloque minhas botas, beije e peça desculpas.
— Tudo bem! Eu vou fazer o que manda. Só quero sair daqui. Mantenha seus lobos longe de mim. Pronto já coloquei as suas botas.
— Beije! Peça desculpas.
— Está bem. Droga. Me desculpe. Smack Smack. Me Desculpe. Argh Isso é nojento.
— Beije mais! Eu ainda não estou satisfeita.
— Ok. Smack Smack
— Lambe!
— Eu não...
— Grrrrr!
— Ok. Slamb. Slamb. Slamb. Tire essa bota do meu nariz.
— Cheire. Profundamente.
— Ok. Mas deixe os lobos longe de mim.
— Agora estou satisfeita. Pegue as outras botas e saia pela porta que está do meu lado direito e nunca mais engane ninguém.
— Só quero sair daqui. Esse lugar me da nojo. Mas... que diabos. Esta porta não é a saida. É o quarto da...
— Grazi. É este o meu nome. Já que trouxe minhas botas pode colocá-las. Já sabe o que fazer depois.
— Estou cansado disso! Você não parece ser nenhuma ameaça. Agora sou eu que dou as ordens aqui! Mostre logo qual das duas portas que estão atrás de você é a saída deste lugar maldito.  Diga agora e eu não serei tão violento.
— foi você que pediu.
— Mas o que é isso? Acha que pegar o seu celular e mostrar morceguinhos coloridos saindo da tela para perto de mim vai me dar medo?
— Sim.
— Ah mas você é muito ingênua. Eu vou acabar com você agora mesmo.
— Meus morceguinhos coloridos não vão deixar.
— Você deve estar maluca achando que estes morceguinhos 3D vão me intimidar. Deve ser uma louca. Vai ser fácil sair daqui.
— Acho que não.
— Espere... Eles estão se transformando. Mas que diabos... São algemas! Mas que é isso?
— São estacas de ferro para prendê-lo na parede.
— Maldita! Me solte!
— Mas é agora que vai começar o show. Meu amigos morceginhos agora são facas afiadas e vão em sua direção para dividí-lo ao meio.
— Não! Pare com isso. Ai... meu rosto! Eles estão passando de raspão! Argh... Argh! Me cortaram!  Pare por favor!
— Agora vem o meu golpe fatal!
— Não! Socorr... Mas o que? Neculai? De onde você apareceu Me ajude... Nãa....
— Acha que eu iria desperdiçar o seu sangue misturado com todo este Desespero que tanto aprecio? Eu vim através do celular da Grazi. Foi tão fácil deixá-lo em desespero. E o seu sangue está tão saboroso.
— Neculai querido. Queria que ele tivesse beijado as minhas botas.
— Sim. Seria ótimo assistir isso. Mas não fique triste Grazi. O filme está completo. Só falta uma Selfie com o Leonardo. Pena que ele já não está mais com a gente para dar a sua opinião sobre nosso filme. Ha Ha Ha. Mas sei que ele vai adorar. Ha Ha Ha.  

...


— Pode entrar Deise.
— Neculai. Esta é a atriz Deimante. Ela veio fazer uma entrevista com você.
— Pode nos deixar a sós Deise.
— Tudo bem. Qualquer coisa estarei na recepção.
— Então você é a Deimante. Você fez muitos papeis interessantes. Fiquei interessado em uma personagem em especial. Você fez uma assassina psicótica em um filme que gostei.
— Sim Eu era a Iris Servana. Uma psicótica que conquistou muitos corações. Matou mais de 15 homens naquele filme.
— Eu gostei da sua interpretação. Por isso eu a chamei. Gostaria que interpretasse uma vampira chamada Karina.
— É aquela vampira que vive aparecendo nos jornais. Ela é mesmo muito estranha. Mas preciso estudar sobre ela para poder fazer um teste para você ver. Meu agente disse que você aceitaria o meus custos seja lá quanto for.
— Dinheiro não será problema para mim Deimante. Contanto que seja do jeito que quero. Vou produzir o meu filme e já conto com uma boa equipe de produção. Só faltava alguém para interpretar a vampira Karina. Você é perfeita para o papel. Não se preocupe com muitos detalhes sobre a Karina. Meus produtores vão passar tudo que precisa saber.
— Eu espero fazer um ótimo trabalho. No entanto eu gostaria de alertá-lo sobre meu agente. Leonardo é um tanto ciumento com os minhas atuações. Ele fará de tudo para me impedir de fazer este papel. Tenha certeza que ele pode exagerar na quantia só para dificultar a sua produção. Eu confesso que não posso interferir por causa de questões contratuais.
— Sim Deimante! Eu percebi que ele estava querendo se aproveitar financeiramente pela escolha que fiz. Mas não se preocupe. Falarei com ele e irei convencê-lo a deixar de ser seu agente.
— Isso será realmente algo impossível . Ele é muito obstinado.
— Pois eu posso garantir que em breve você será livre para fazer suas próprias escolhas.
— Então você está mesmo fazendo um filme sobre sua vida.
— Eu estou invadindo todas as mídias possíveis Deimante. Já tenho um programa de TV e logo terei o meu livro. Enquanto isso, estou produzindo este filme sobre a minha vida. Quero muito que todos me conheçam completamente.
— Achei que os jornais já falassem bastante sobre sua vida. Não posso negar que estou apreensiva sobre você. Parece que os seus inimigos desaparecem muito rápido.
— Hora Deimante. Isso é um exagero da mídia. Sabe como eles são. As pessoas como eu, que são perfeitas demais, eles acabam inventando só para vender mais fofocas. O mundo é assim. Você, que é uma atriz muito famosa, conhece bem a imprensa e sabe podem usar o seu nome para garantir as vendas. Eu tenho alguns textos que falam de você. E são textos bem curiosos.
— Nisso você tem razão Neculai. A mídia nos usa para ganhar dinheiro com o que eles inventam. Temos que ser tolerantes com eles ou nos enterram e a justiça é lenta. Geralmente quando ganhamos a causa o público fica sabendo bem mais tarde, depois que nossa imagem já foi destruída.
— Somos alvos rentáveis Deimante. Mas não se preocupe. O filme estará sendo produzido em completo sigilo. Não terão como saber de nada. Só quando estiver pronto. Agora peço que assine este contrato e assim poderemos continuar o nosso trabalho.
— Fico contente em poder participar da sua produção, mas eu gostaria de saber um pouco mais sobre minha personagem Karina.
— Isso é fácil de resolver. Só um segundo. — Deise. Peça para ela entrar.
— Olá Deimante. Eu sou a Karina.



Músicas que escolhi para esta história.
https://www.youtube.com/watch?v=rn_YodiJO6k

https://www.youtube.com/watch?v=6NXnxTNIWkc

Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo