Clique no banner abaixo e conheça a Editora Collaborativa.

O Sangue dos Monstros - clique aqui

O Sangue dos Monstros - clique aqui
conheça mais sobre o livro O Sangue dos Monstros - 2018

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Fotos do evento 1ª Pausa Cultural - dia 27 de abril 2019





























quinta-feira, 25 de abril de 2019

A Maldição da Lua - Adriano Siqueira

 A maldição da Lua
Quando comprei aquele cristal para ela não imaginei que teria tantos problemas.
Após ter colocado no pescoço a mudança foi imediata.
Seus olhos brilhavam.
 Naturalmente eu imaginava que o adorno tinha combinado com ela.
No dia seguinte um turbilhão de mensagens invadiam seu e-mail, vários homens, todos com propostas de casamento. – Talvez um trote. Ela pensou, porém ao verificar a porta da frente da sua casa placas e cartazes indicavam que o trote já teria passado dos limites. Ela me ligou para explicar o que estava acontecendo mas não dava para ela falar, as pessoas a sua volta desligaram o telefone para continuar declamando poesias.
Uma mulher me ligou em seguida dizendo que o cristal que eu havia dado era encomenda para outra pessoa. Essa mulher disse que me levaria até a Camila para que tudo fosse resolvido.
Eu fiquei preocupado e fui até o seu encontro.
Ao chegar os homens agrupados em vários grupos procuravam a Camila. Foi quando falei para a moça que estava comigo que eu sabia onde poderia estar.Quando vi ela estava escondida na praça onde eu a encontrava no final de semana.
 Ela me contou a história do que havia acontecido. Porém, eu não estava dando ouvidos. Ajoelhei aos seus pés e fiquei ali implorando por seu amor.
Os olhos dela brilhavam muito. Seu rosto tinha estava iluminado e eu estava completamente embriagado e apaixonado por sua beleza.
 Meus olhos estavam embaçados mas aos poucos eu vi a mulher arrancar o Cristal do pescoço dela.
Ela gritava: “Lágrimas da Lua… Cristal de deuses pra lua deve voltar!”
 Lançou o cristal para direção da lua desaparecendo no infinito.
 A bruxa agora olhava para mim e para Camila dizendo que o pior ainda não havia chegado.
A maldição trazia os homens até a mulher que usa o cristal, caso ela abandone o feitiço transforma todos em lobos devoradores.
Dizendo isso ela desaparece e no lugar dela gritos de lobos por todos os lados.
Lobos para devorar a vitima.
Camila corre e eu tento alcança-la uivando….

Autor: Adriano Siqueira
Esta diagramação e fotos foi produzido por Vanessa Marggot do blog - 
https://integrityloveunity.wordpress.com/2011/05/14/a-maldicao-da-lua/
Agradeço muito pelo carinho. :-)

Abraços Adriano Siqueira



quarta-feira, 24 de abril de 2019

Alma Aprisionada



Alma Aprisionada
por Adriano Siqueira

Mesmo sendo uma criatura noturna,
sou prisioneiro de várias presas.
Amarrado em fortes colunas,
em celas sujas e espessas.

Cercado pela solidão, 
Vigiado pela multidão.

Sem esperança, olho para a lua,
e clamo por perdão.

Adorável Noite me fortaleça. 
Surja agora com seu manto noturno
Me cubra e me aqueça
e traga o seu exercito obscuro.

Fique ao meu lado, 
pois sou escravo de um futuro silencioso, 
onde a morte nos olha calado
para qualquer ser que ficar ocioso.

Me energize com seu poder
e assim vencerei sem temer.

E através da noite e da escuridão,  
Derrotarei o ódio desta geração.

Trarei de volta o seu domínio, 
Onde a lua será nosso lar e
a noite, o nosso caminho.

Convite aos seres noturnos



Sedutor, cativante,
criatura de olhar penetrante

Abandona o seu castelo distante
invada as horas sombrias
para tatuar a sua marca proibida
nas almas, nos corpos e na eternidade possuída
pela força do dragão
que está adormecida
no sangue,
no coração.

Contamine a noite e a transforme
em seu novo lar.

Dri, o Lord

Marcas - Adriano Siqueira



Marcas
por Adriano Siqueira

A marca não fica no corpo
ela vira um estigma na alma.

Mantém o sinal
como o farol da torre.

Anuncia os outros
que você é parte da associação.

Telepatia e sintonia,
protegem da solidão.

Estigma que anuncia
o sangue e a fome.

Permanece no seu caminho
fortalecido, alimentado e
acima de tudo...
preparado.

será de olhos fechados
que verá seu verdadeiro caminho.
será com a boca fechada
que falará as verdades.
será com os ouvidos tampados
que ouvirá seu coração.

Unir o verso



Temos que unir os versos
para termos novos universos.
Nosso mundo não sobreviverá
se não existir palavras
No céu, na lua e no olhar.

Aviso os habitantes,
Que um dia irei partir.
Vou me aventurar.
Para outros mundos, outro lugar,
Em uma nave estelar.

por Adriano Siqueira

terça-feira, 23 de abril de 2019

Dia 23 de abril - Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor

Parabéns para todos que incentivam e ajudam o Autor com seus devidos direitos e os livros.


quinta-feira, 18 de abril de 2019

Adriano Siqueira estará no evento 1º Pausa Cultural



Exposição do Museu dos Vampiros e Bate papo de Adriano Siqueira



Evento 1º Pausa Cultural
Dia 27 de abril de 2019
começa às 14hs
Local:
Rialto Villa Gastronômica
Av. Manoel Ribas, 5824, 82400-000 Curitiba

Página do Facebook do evento:
https://www.facebook.com/events/2038015099579012/

fotos do evento no link
https://contosdevampiroseterror.blogspot.com/2019/04/fotos-do-evento-1-pausa-cultural-dia-27.html


Mórbius, o vampiro vivo


Com a produção do filme do Morbius, vou colocar algumas curiosidades por aqui sobre este Vampiro Vivo.
Mórbius é um vampiro criado em laboratório.
Esta é a primeira história em que o vampiro Morbius aparece para enfrentar o Homem Aranha na época que o aracnídeo tinha seis braços.

Morbius não é o único vampiro a ser criado em laboratório. O vampiro Nosferatu (não aquele do filme de 1922) da DC, Titãs do Futuro, também foi criado em laboratório. E o visual é bem parecido.



Seguindo a linha de terror que é onde o Morbius surgiu segue algumas imagens da primeira aparição dele nos quadrinhos aqui no Brasil. 




Estou ansioso para ver o Mórbius em filme. 
abraços
Adriano Siqueira



terça-feira, 16 de abril de 2019

O sorriso da fada



O sorriso da fada
Por Adriano Siqueira

Estou sentando assistindo aquele pequeno casulo cultivado por mais de cinquenta anos nesta minha pequena floresta.
Eu esperei muito por este momento. Desde que comprei este terreno depois de muitas pesquisas eu sabia que ela estaria aqui.
Tive o trabalho de limpar todo o local. Deixei apenas este arbusto com o casulo que tinha o tamanho de apenas 30 cm.

Sabia que logo era iria sair.
Construí uma cabana bem à frente para vigiá-lo com mais tranquilidade. Estava sempre ansioso sentado esperando um movimento que nunca sabia quando iria acontecer.

Nada mais me importava.
Então, em um certo dia de chuva, o casulo se mexeu, mais do que nas semanas anteriores. A hora estava chegando. E finalmente pude acompanhar de perto o nascimento daquela fada.
Ela levantou os braços para cima e bocejou como se tivesse acordando de um longo sono.

Ela me viu... Não se assustou... Pelo contrário, sorriu! Ficou me admirando um pouco e quando me aproximei ela piscou pra mim. Começou a subir nos galhos até que finalmente partiu voando.

Hoje, eu tenho sessenta e cinco anos e ainda não esqueci aquele sorriso.
Uma noticia no jornal diário me chamou a atenção. Vampiros existem!

Isso me deu uma grande ideia. Se os vampiros existem então eu posso me tornar um e assim terei mais tempo para esperar e ver novamente o sorriso daquela fada.

Depois de muita pesquisa consegui chegar a um lugar aonde havia um provável vampiro que na verdade era uma vampira.
Ela me deixou entrar. Não parecia rude e nem severa. Pelo contrário ela entendeu perfeitamente quando lhe contei sobre o sorriso daquela fada e da minha paixão por ela.
A vampira só pediu sangue em troca da minha eternidade como um ser noturno.

Em poucos dias eu havia me tornado um vampiro. Eu estava muito satisfeito com o resultado. Me senti muito jovem e poderia esperar pela eternidade a volta daquela fada.
Demorou apenas mais cinco anos até que, um dia, ela finalmente voltou.

Sua beleza permanecia intacta, mas ela não tinha mais o tamanho da palma da mão, ela já tinha o tamanho de um ser humano normal.
Seu sorriso era tão lindo que, se eu fosse ainda um simples humano, teria morrido do coração de tanta emoção. 

Ela percebeu que eu havia me transformado em vampiro. Isso a deixou triste, pois naquele dia ela morreria e queria passar os seus últimos dias comigo, pois eu à vi nascer.
Passei apenas cinco dias com ela. Pouco tempo mas inesquecível.

Ela morreu em meus braços. Aos poucos vi o seu sorriso desaparecer lentamente. Eu chorei como pude.

Ao menos tentei viver eternamente com ela. Minha forma vampírica me impedia de soltar alguma lágrima. Neste dia eu morri com ela. Enterrei seu corpo perto do arbusto de onde ela havia nascido. E fique lá com ela.

A dor dela passou. A minha... Continuará eterna. Mas depois de um tempo, percebi que estava nascendo outro arbusto aonde o corpo da fada foi enterrado. Logo então haverá outro casulo e ela renascerá.

Meu sorriso voltou.

A fada vai nascer novamente e eu estarei aqui pela eternidade esperando por sua volta.

É proibido - conto de Adriano Siqueira




É proibido!

Um casal saiu do bar. Por alguns instantes.Eram duas mulheres que namoravam alegremente. Uma delas acendeu um cigarro e depois pegou na mão de sua amante e levou para um banco em uma praça que era bem em frente ao bar. Lá eles encontraram um outro casal, eram dois homens que se olhavam em silêncio. Eles veem as duas mulheres se aproximando. Um dos homens também estava fumando um cigarro.

Uma das mulheres pergunta:
Vocês não acham o cúmulo está nova lei?

O homem que assistia seu parceiro fumar responde:

      — É claro que é um absurdo. Não podemos fazer mais nada neste mundo! Está tudo proibido!
— Poderíamos fazer um baixo assinado. Talvez ajude.
— Eles não querem isso... Querem distância da gente.
— O mundo moderno é assim. Logo não poderemos nem sair de casa.
— Os bares proíbem! Casas noturnas também!
O homem completamente perplexo pegou os cabelos do rapaz que estava ao seu lado e puxou para traz mostrando o pescoço. Ele abre a boca e caninos pontiagudos aparecem e ele morde violentamente. A mulher que conversava com os rapazes olha para a sua amante e faz o mesmo pressiona o seu corpo e toma todo o seu sangue.

O homem e a mulher se limpam com um lenço e continuam a conversa.
      — É muito preconceito. Falta respeito neste mundo. Temos direitos.
— Sabe. Proibir a gente de tomar sangue quente direto da fonte é um ultraje!
— Sem dúvida. Vampiros merecem respeito. Sangue em garrafa é nojento! É gelado! Perde proteínas importantes. Devemos fazer uma passeata.

Os corpos sem sangue caem no chão e eles continuam a debater sobre essa nova lei e voltam para o bar. 



terça-feira, 9 de abril de 2019

Novo site da Academia Poética Brasileira está no ar


Produzido por Mhario Lincoln o Presidente da Academia Poética Brasileira, o site entrou no ar nesta semana e já tem muitos vídeos com entrevistas, poemas e curiosidades.
O site foi contruído por Vanessa Musial e ficou um espetáculo.

Confiram





VAMPIRELLE, a vampira de Curitiba

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo