Clique no banner abaixo e conheça a Editora Collaborativa.

O Sangue dos Monstros - clique aqui

O Sangue dos Monstros - clique aqui
conheça mais sobre o livro O Sangue dos Monstros - 2018

quinta-feira, 25 de julho de 2019

O Desespero na China - Uma nova história do Vampiro Neculai




Desespero na China
Uma aventura do vampiro Neculai na China
Por Adriano Siqueira

No município de Ilheus na Bahia. O vampiro Neculai intercepta uma carga de pedras radioativas.
O celular toca e um soldado atende.
— Alô!
— Sou o Neculai!
— Droga! Ele está no celular! Tirem o caminhão daqui antes que ele Aghh.
Através do celular. Neculai, sem roupa, aparece em sua forma humana e morde o soldado.
— Tenho uma novidade para você, Soldado! Eu estou muito interessado na carga que você está transportando.
Quatro homens começam a atirar e o vampiro desaparece.
Os soldados circulam o caminhão e Neculai aparece e pega todos desprevenidos.
— Ha Ha Ha ! Foi muito fácil liquidar estes soldados.
— Preciso verificar melhor essa carga.
Neculai abre uma caixa de aço e tira uma pedra radioativa. Ele suga a radioatividade da pedra. Depois de analisar bem ele descobre que a pedra tem uma marca conhecida.
— Essa marca é da empresa que eu estava querendo comprar na China. Parece que eles exportam essas pedrinhas para o mundo. Ela é uma empresa de pesquisa que cuida das muralhas da China. Vou ter que analisar aquela muralha de perto. Uma ligação Resolve.
— Alô!
— Quon! Aqui é o Neculai.
— Do que precisa.
— Quero analisar a Muralha da China de perto pode levar o seu celular até lá.
— Sim! Tudo bem! Eu te devo um favor. Você ajudou a combater uns rapazes aqui que estavam querendo dinheiro pra cuidar da minha loja. Eu vou ser eternamente grato. Mas aqui é de dia. Você aparecer pelado no meio da Muralha com todos os visitantes lá, vai ser bem estranho.
— Só vou fazer uma análise das pedras de lá. Não vou precisar sair. Mas você precisa estar nas muralhas.
— Estou chegando lá. Estou de bicicleta e já estou perto. Pronto. Eu encontrei. Tem muitas câmeras aqui. Eles vigiam tudo que é suspeito.
— Levante o celular bem alto. O celular vai pegar as informações da câmera e vai repetir o video várias vezes. Isso vai dar tempo para fazermos a análise.
— Sim já fiz isso e espero que dê certo.
— Confie em mim meu amigo.
— O que tenho que fazer Neculai?
— Encoste o celular na muralha. Meu analisador vai fazer o resto.
— Tudo bem neculai eu Argh...
— Qoun? Quon?
— Ele não fala nada. Talvez tenha sido preso.

— Mãe! Olha. Achei um celular no chão.
— Que estranho filho. Deixa eu ver.
Neculai grita no celular.
— Oi. Oi! Você moça bonita. Qual é o seu nome?
— Alô! Você está me ouvindo?
— Sim! Eu sou o Neculai. E eu vou precisar da sua ajuda.
— Me desculpe eu estou com meus filhos passeando...
— É rapidinho. Linda China Girl. Eu não vou tomar muito o seu tempo.
— E o que você quer Neculai?
— O rapaz que era dono deste celular foi detido e eu preciso que você passe o celular bem perto da muralha enquanto caminha. Pode fazer isso pra mim?
— Se prometer que isso é seguro.
— Muito seguro querida China Girl. Eu lhe garanto. Vou proteger você.
— Tudo bem. Por quanto tempo eu ando com o celular.
— Quando o celular apitar. Você para e volta a falar comigo.
— Tudo bem.
A mulher andou por alguns metros e o celular começou a apitar.
— Alô! Neculai o celular apitou.
— Bem querida China Girl. O celular detectou uma porta escondida. Você vai ter que abrir e jogar o celular dentro. Pode fazer isso?
— Sim posso. Realmente é uma porta secreta e é fácil de abrir. Pronto. Está aberta.
— Querida China Girl. Quero que você agora jogue o celular dentro desta porta e continue seu passeio normalmente. Dentro deste local eu posso aparecer tranquilamente. Pois quando apareço fico pelado e isso chamaria a atenção. Depois nos encontraremos.
— Nos encontrar? Não entendi nada.
— O meu celular capta todos os números de telefone na redondeza. Depois falamos. E Obrigado pela ajuda.
— Tudo bem. Não se machuque.
A mulher joga o celular dentro da porta e fecha. Olha para as crianças e continuam a passear pela muralha.
— Neculai sai do celular e assume a sua forma humana, sem roupa. Ele examina dentro do buraco e encontra muitas pedras iguais as radioativas que encontrou no Brasil.
— Então são essas pedras que usam para exportar. Elas podem explodir toda a China. Isso seria ruim para os meus negócios.
Um soldado aparece dentro da porta secreta e aponta sua arma para o Neculai.
— Não se mexa. Neculai. Você é um homem morto.
— Por que iriam destruir sem próprio pais?
— Liguem o detonador. Você não tem ideia de como é esse mundo. De como ele ignora os pobres e infelizes.
— Mas essa não é a maneira correta. Ou acha que psicóticos como vocês merecem um lugar neste mundo segurando a bandeira da pobreza. Ha Ha Ha !
— Não zombe dos nossos planos. Vamos matá-lo e destruir a China. Sabemos que nesta forma humana você é indefeso.
O soldado aponta a arma para o Neculai e quando estava para atirar alguém empurra o soldado. Era a mulher que estava ajudando ele.
— Desculpa. Eu tropecei.
Neculai grita de felicidade.
— Muito bom China Girl. Pode deixar que eu resolvo o resto.
Neulai pega o celular e aponta para o detonador e ele explode. Logo em seguida ele levanta os braços e descarrega toda a radiação das pedras.
— Pronto! Resolvido.
Neculai ouve uma risada. E vê a China Girl e pergunta.
— Qual é a graça heroína da história?
— Você está mesmo pelado.
Neculai percebe e fica em pânico.
— Não me olhe. Eu vou entrar novamente no celular. Fique com ele. É um presente. Nos veremos brevemente.
Neculai corre para o celular e desaparece.

Mais tarde. Em sua cama. A mulher estava examinando o celular. E lá tinha um número com o nome de Neculai.  Ela ligou.
— China Girl.
— Foi uma aventura e tanto Neculai.
— É muito corajosa. Você foi uma verdadeira guerreira China Girl.
— Como funciona?
— Bem. Como todos os homens.
China Girl ri. Não disse isso. Disse como funciona esse seu poder de entrar e sair do celular?
— Ah. Bem. Eu era um humano como tudo mundo. Um dia viajei para Montese na italia. Na segunda guerra. Conheci um vampiro lá. Ele me deu o tratado montese e me mordeu. Para que eu virasse um vampiro e continuasse protegendo este tratado.
— Que história interessante. Mas como aconteceu de você entrar no celular.
— Eu voltei para o Brasil e passei um tempo como vampiro. Muitos anos. Não gostei muito da maneira como os outros vampiros eram. Eu queria mais poder e cada dia eu estava mais confiante em usar o poder do tratado montese. E usei em uma noite. Na década de 80. O tratado mexia com ondas. Eletricidades etc. Naquela noite eu fiz o ritual montese. E fui sugado pela eletricidade e as ondas. Fiquei desesperado. Estava sem corpo. Eu tinha me transformado em uma onda. Que ficou rodando este mundo. Nesta onda comecei a ouvir vozes. E me aguei a elas. E finamente consegui abrir um portal e apareci perto de um celular. Descobri que estas ondas me levavam para muitos lugares através deste aparelho e assim renasceu o Neculai. Com o conhecimento que adquiri hoje tento salvar o Brasil.
— Eu pesquisei sobre você na internet. Não parece bem um salvador.
— Isso é a concorrência que adora atacar os famosos que só pensam no bem, querida China Girl.
 — Acho que não estou convencida.
— Você é uma mulher muito atraente. Por que não me deixa aparecer para você?
— Aqui? No meu quarto?
— Sim. Eu posso usar a sua toalha de rosto se quiser.
— Você é sempre assim?
— Não. Eu sou bem pior. Ha Ha Há
— Está bem. Mas saiba que não tenho medo de você.
— Eu sei. Apenas quero te ver mais perto. É só colocar o celular na cama.
— Pronto. Coloquei
Neculai aparece na cama. E se cobre rapidamente com o lençol e fica deitado.  Ele bate com a mão ao seu lado.
— Venha deitar aqui do meu lado China Girl.
— Você é muito ousado Neculai.
— Sabe China Girl eu sou um vampiro que adora fazer amizades. Posso ajudar muito e liquidar qualquer problema que tenha. Sou um vampiro que controla muitas empresas inclusive aqui na China. Eles me adoram. E posso ajudar muito você por aqui.
— É assim que comprar as pessoas Neculai?
— Não! Comprar? Eu? Não não ! O que eu quero é que todos aproveitem este mundo da melhor forma possível. Sem separar classes A, B ou C.
— Matando o A e B?
— Eu não disse isso, mas vou anotar essa ideia.
China Girl ri.
Neculai passa as mãos no rosto dela.
— Você tem um rosto muito perfeito China Girl. Olhos que me atraem;
— Obrigada.
— Eu gostaria de te conhecer mais....
— Eu sou uma moça que gosta de passear.
— Eu queria conhecer... você mais... Intimamente.
China Girl ri.
— Quem sabe Neculai. Você deve ter uma agenda muito lotada e eu gosto de homens presentes.
Neculai beija a China Girl e ela o abraça. E ele acrescenta.
— Conheci um ditado chinês que diz que devemos sempre acreditar na volta do rouxinol, mesmo morto, pois ele escondido no coração e aparecerá quando mais precisar.
— É um homem cheio de mistérios. Neculai.
Neculai entra no celular e diz:
— Se precisar é só ligar.












2 comentários:

Maria Dutra disse...

Neculai abalando coração, tenho certeza q a China Girl não queria ter ficado somente no beijo e no abraço... China Girl irá ligar para o Neculai no próximo capítulo. Espero que tenha continuação. hahaha
Parabéns Adriano Siqueira, adorei o conto

Maria Dutra

Adriano Siqueira disse...

Esta nova fase do Neculai tem atraido muitos leitores, o sucesso é graças as leituras e o apoio. Enquanto o pessoal aprecia ler estas histórias inéditas eu leio os maravilhosos comentários pois este incentivo ajuda demais a continuar a escrever.

Abraços
ADriano Siqueira

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo