segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O Vampiro, o Ladrão e o Desespero.



─ Alô!
─ Quer Falar com quem?
─ Karina.
─ Eu acabei de roubar o celular dela otário.
─ Então não é o seu dia de sorte.
─ Está me ameaçando cara? Quem está falando aí?
─ Neculai. E já sei seu nome Afonso. Estou vendo você na rua. A Karina está caída com a pancada que você deu na cabeça dela. Atacar minhas futuras vítimas não deixa você em boa situação. Pare de ficar olhando para os lados. Não vai me achar. Embora eu esteja bem perto de você.  
─ Vem aqui cara. Eu estou armado.
─ Guarde a arma. Vai chamar a atenção. 
─ O que você quer? Dinheiro?
─ Não... Eu quero algo mais precioso... Seu Sangue.
─ V-vcê está querendo me assustar cara? Não está conseguindo.
─ Sinto cheiro do seu medo. Posso me alimentar de você em segundos.
─ Eu não tenho medo. Mas o qu... Não n,,, Arrrghhhh 
─ Alô?
─ Desgraçado! Quebraram a minha perna! Quem foi? Quem foi? Minha perna está quebrada!
─ Vou dar uma pista. Seu nome começa com "N" de Neculai,
─ Seu maldito. Como fez isso? 
─ Eu posso mostrar novamente se quiser.
─ Não Não... me deixe em paz. Minha perna está doendo muito. 
─ Já resolvo isso!
─ Não! O que vai fazer? Como apareceu tão rápido Arghhhhhhh
─ Alô!
─ Nhhh.. Quebrou meu braçooo! Para com isso! Chama ajuda!
─ Quer minha ajuda? Posso acabar com essa dor.
─ Eu não aguento cara! Pare p-por favor! Eu não faço mais isso! Eu só quero ir para casa. Está doendo demais.
─ Você reclama demais Afonso. Vou ter que dar um jeito nisso.
─ Não não de novo n... Ahnhhhhnnnn... 
─ Alô?
Nhnnn AHH Ghdddddd
─ Esqueci que sem a língua você não pode falar. Mas você está me ouvindo mesmo caído aí com sangue para todos os lados... Sinto o cheiro.... Delicioso... só vou acrescentar um tempero.
─ Nhhhh...
─ Belas palavras. Você agora está falando como um diplomata. Sabe Afonso. Eu vi que você tem outro celular. Ele é seu. Esta mulher é sua namorada? Ela é bonita. Vamos ligar para ela te encontrar? Sou ótimo em imitar vozes.
─ NH Gh Ghhhh. 
─ Alô! Sou eu o Afonso. 
─ Oi lindo. Onde você está. 
─ Oi Roberta. Estou pertinho de você. Posso ir aí? 
─ Ah Afonso. Você sabe que meu pai não gosta que a gente se encontre de noite aqui em casa. 
─ É rapidinho prometo. Vou levar um presente para você.
─ Hum então tudo bem gato. Te espero. 
─ Ghhhh Ihhhh Ahhhhhh.
─ Quem disse isso? 
─ Não liga não amor. Tem um bêbado aqui do meu lado pedindo grana. 
─ Não dá moleza não amor. 
─ Pode deixar amor. vou matar ele e depois te ligo.
─ Você é tão brincalhão. Vou esperar você ligar.
─ Viu só Afonso. Sua namorada me ama. Vou deixar ela toda cheia de sangue igual você. Prometo que será rápido. 
─ Ghhhhh Nhhhhhh...
─ Isso! Isso mesmo! fique em pânico. entre em desespero. É este o tempero que preciso para me satisfazer. Desta vez tenho que ser rápido, pois tenho um encontro ainda esta noite. 
─ Nhhhh nhhhhhh...
─ Que sabor! Uma verdadeira iguaria. Seu sangue é uma preciosidade. Agora tenho que ir. A noite só começou. 


Por Adriano Siqueira

segue link para a próxima história do Vampiro Neculai
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/fugindo-do-desespero-seu-sonho-pode-ser.html



Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo