quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Fator Montese - Vampiros - História inédita



Olá Pessoal,

"Fator Montese" é o nome da história que unirá vários personagens que criei ao longo destes anos: Cavaleiro Valente, Lord Danny Ray I (Também conhecido como Lord Dri), Neculai, Luney (o Exorcista de Carros assombrados), Angelo Donnati (O Caçador) e a vampira Lumina.

O Ritual Montese foi o que deu o poder que conhecemos hoje para o vampiro Neculai ser o que é, só que alguém achou este ritual e quer formar um exército que possa viajar da mesma forma do Neculai para dominar vários países.

Segue abaixo os links dos capítulos desta série.

Bem-vindos a nova série de contos de vampiros. Fator Montese.

Abraços
Adriano Siqueira



Fator Montese 
Parte 1


Dois garotos comentam o suspeito movimento estranho em uma casa abandonada.
— Rapaz. Eu nunca vi esta rua tão movimentada. Ultimamente só aparecem carros de luxo por aqui e estacionam naquela casa abandonada. Vamos dar uma olhada por lá?
— Sim. Mas vamos ser discretos. Tem muitos grandalhões na frente da casa. Qualquer coisa a gente corre.

Ao aproximarem, eles olham para os homens que estão na frente da porta. Os homens não mostram emoção nenhuma e olham atentamente para os garotos. Eles respiram fundo e fazem uma pergunta.

— Por favor. O que está acontecendo na casa. Vocês vão comprar? Estão fazendo um filme ai dentro?

Os homens olham e começam a sorrir. A pele começa a ficar vermelha e rabos pontiagudos saem por trás deles. Finalmente eles respondem.

—  Somos demônios. Vamos fazer uma festa, porém falta o prato principal. Garotos curiosos.  

Os garotos correm desesperadamente. Dentro da casa, vários demônios vigiam o prisioneiro que está amarrado em uma cadeira com espinhos que perfuram a sua pele. Todos estavam esperando a chegada de um representante para interrogatório. O Silêncio dominava o local. Um dos demônios recebe uma mensagem pelo rádio e comunica:

—  Ela está aqui.

A representante do inferno. Lucrétia anda vagarosamente até o prisioneiro. Levanta o queixo dele para que ele a olhe.

— Peço desculpas pelo jeito como meus demônios te trataram. Mas eu queria que você ouvisse o que tenho a dizer. Tenho uma proposta querido vampiro Lord Danny Ray I.
— Deveria me mandar um e-mail. Seus métodos para me chamar a atenção causam dores profundas.
— Tirem os espinhos do Lord. Assim poderemos conversar melhor.
— Me chame só de Danny Ray. Deixei o Lord no Passado.
— Estão era verdade. Você não é mais o Lord de antigamente. Aquele castelo e as suas aventuras o deixaram enfraquecido.
— Agora eu estou do jeito que quero. Sem me meter em encrencas.
— Vai aprender que o título de Lord não se pode tirar. Não é você quem coloca. É o seu povo. Para muitos você ainda é o lendário Lord Dri. Procurado e Caçado. Como sempre foi.
— Amarrado também. Vai durar dias para estas marcas de espinhos saírem do meu corpo. Um preço caro para falar com a representante do inferno.
— Pois é Lord. Eu deixo marcas profundas. E eu não tenho culpa que você sempre foge de mim.
— Hoje tudo é pela internet. Poderia mandar uns cartões virtuais de uma diabinha querendo fazer amizade. Ou mesmo enviar clipes de músicas sexys.
— Eu não sou qualquer uma! Eu sou Lucrétia.
— Desculpe por dizer isso, mas o inferno não está na minha agenda.
— Preciso de você Lord.
— Contrate um exorcista.
— É sobre o Ritual Montese.
— Por que o inferno estaria interessado neste ritual?
— Estaríamos em toda a parte de comunicação tecnológica do mundo.
— Para isso é só ir naquelas empresas de atualização tecnológica e trocar todos os seus computadores por novos. O inferno precisa de uma atualização.  Um ritual não vai resolver seu problema.
— O ritual é antigo mas eles mexe com as ondas de comunicação, principalmente os celulares. Um dos vampiros teve acesso a ele. E se transformou em uma ameaça. Ele manipula todos com seus poderes e tem sido uma dor de cabeça para a terra, o céu e o inferno.
— Um vampiro poderoso era o que você queria.
— Não. Ele quer ser presidente. Está com alta popularidade. Já fiz uma reunião com ele. Não podemos interferir. Mas você pode. Ele conhece os poderes do ritual. Vocês juntos poderiam localiza-lo e trazer para o inferno e guardaríamos.
— Vocês são tão generosos. Um ritual com este poder muito bem guardado no inferno. Por um acaso este ritual não teria o poder para vocês entrarem no céu e dominarem o local não é?
— Trouxe um presente para você.
— Um celular?
— Nele tem o número do vampiro que você precisa para ajudar a encontrar este ritual.
— Neculai.
— Ele mesmo Lord. Este é o vampiro do celular. Ele é manipulador por isso não fique ouvindo muito o que ele diz. Ele gosta de brincar com as incertezas dos outros e usa como arma para conquistar aliados.
— Já conheci muitas pessoas assim. Matei todas.
— Ah... Meu Lord. Como eu queria estar mais perto de você. Espero que depois de tudo isso você entenda como o meu trabalho é difícil.
— Neculai conquistou você?
— Não. Eu odeio ele. Mas o inferno precisa dele. Tem colocado mais medo nos humanos isso é um ponto forte para as religiões. Ele sabe que precisamos dele. É um manipulador. Como eu queria trazê-lo para o inferno e torturá-lo pela eternidade. Se puder mata-lo seriamos muito gratos.
— Este ritual tem mexido com a cabeça de vocês. Vou encontrá-lo. Isso vai resolver esta loucura toda.
— Algo que você deveria saber sobre este ritual. Ele pode leva-lo de volta para o seu verdadeiro tempo e tentar evitar que uma certa bruxa fosse morta e você conquistaria o seu castelo e voltaria a morar com sua bruxa.
— É um convite tentador. Mas prefiro deixar o passado enterrado.

Lucrétia abraça o Lord e dá um beijo. Logo em seguida, todos naquela casa saem rapidamente. Lord Dri olha para o celular e fica imaginando como o mundo mudou. As pessoas não costumam mais saírem. Tudo hoje se resolve pela tecnologia. Computadores, celulares e tudo mais estão escravizando a humanidade. E já existe um vampiro que usa isso como arma. Neculai. O quanto este ser pode ser manipulador ao ponto de poder chegar a presidência? Suas perguntas param. Ele liga para o número que está na tela, mas uma voz feminina atende.

— Alô?
— O Neculai está?
— Ele não pode atender no momento. Pode falar comigo. Eu sou a relações públicas dele. Meu nome é Deise Day.
— Ele sabia que eu iria ligar?
— É o Lord Dri não é? Sim. Ele sabia. Ele sabia também que eu seria a pessoa apropriada para falar com você. Devemos nos encontrar. Pelo GPS já localizei onde está. Um carro chegará aí em alguns instantes. Ele o levará para um Restaurante noturno. Assim poderemos conversar melhor.
Enquanto o Lord Dri fica impressionado com o gênio manipulativo do Neculai. O vampiro do celular está em uma reunião importante com os representantes de fabricantes de automóveis do país.
— Senhores eu sei que as indústrias tem feito o necessário para sair da crise. Mas o que eu tenho aqui é uma proposta que vai deixá-los muito satisfeitos.
— O que está pedindo é algo absurdo Neculai. Não podemos simplesmente parar tudo para começar a fabricar armas bélicas.
— Isso já aconteceu uma vez. Pode acontecer novamente. Garantiria o emprego de muitos. E o preço seria satisfatório para todos.
— Dezenas de países precisam destas armas. Vocês podem construí-las sem que ninguém fiquem sabendo e a produção seria apenas por um ano.
— Tanques e carros com armas embutidas. O que quer fazer Neculai? Uma guerra?
— Ah não... Senhores Por favor! As armas nunca são para a guerra. São para a nossa defesa. Apenas isso. Vamos nos defender. Mas para isso precisamos do seu silêncio. Algumas armas serão levadas para os países que precisam se defender. Vivemos uma era de defesa, de proteção, de atendimento aos necessitados. O que estamos fazendo é digno de heróis. Estamos dando oportunidade para muitos inocentes se defenderem. E vocês vão lucrar muito pois eles tem dinheiro e precisam muito serem defendidos. Lembro que estamos nesta situação atual por estarmos sempre de cabeça baixa. Aceitando tudo. Sem termos a devida oportunidade de nos defender.
— É um discurso e tanto Neculai, mas acredito que seria muito ingênuo acreditar que estas armas seriam usadas só para defesa.
— Se quiser posso cuidar delas para vocês. Então vamos ao trabalho. Aqui está a relação do que precisamos produzir e para quais países serão encaminhadas.
— Espera Neculai. Tem pedidos aqui que é para a Amazonas?
— Ah. Sim! Bem. Sei que não sabem, mas o Amazonas não é mais nosso território desde a época de 70. Precisamos muito defender nosso verde e reconquistar nosso espaço. Façam uma pesquisa e vão ver claramente que realmente isso aconteceu e chegou o momento de apenas recuperar o que é nosso. Quando eu disse que vocês serão os heróis. Eu não estava brincando. Bem... Vamos ao trabalho. Qualquer coisa estarei no celular.
Neculai sai da reunião com um sorriso. Ele pega o celular e verifica que ele tem que resolver um assunto pendente.

— Alô?
— Olá Meneghetti. Eu sou o Neculai.
— Eu não sei quem você é, mas estou muito ocupado.
— Sim... Deve mesmo estar bem ocupado. Está fugindo com o dinheiro de todos os clientes da sua assistência médica. Pessoas que suam bastante para serem atendidos com rapidez. Elas acreditavam que estariam seguras e você. Pegou tudo. Vai usar em viagens e vida boa. Acha que ninguém iria descobrir isso?
— E-eu não sei o que...
— Você está dirigindo para o aeroporto. Notou que tem dois caminhões em cada lado do seu veículo? Ha Ha Ha. Pode ter certeza que não é coincidência.
— O que você pretende? Eu sou inocente!
— Quero o meu lanchinho noturno. Mas antes. Uma dose de desespero para melhorar o sabor do seu sangue. Há Ha Ha
— Por Favor. Me deixe ir. Eu tenho muito dinheiro aqui podemos dividir.
— Eu sou ambicioso Meneghetti. Eu sempre domino a festa.
— Por favor. Os caminhões estão me pressionando aqui.
— Ah meu sanduiche já está sendo produzido. Não vai sobrar nada de você. Para piorar. O freio do seu carro não está funcionando.
— Desgraçado! Assassino!
— Isso faz de mim... Um grande candidato à presidência. Além disso... Acidentes acontecem.
— Não Não! Parem!
— Pare de gritar agora eu estou no seu banco de trás.
— Como apareceu aqui? Me solte. Não Não! Argh!
— Ah seu sangue misturado com o desespero me deixa muito satisfeito. Preciso de uma selfie para registrar este momento antes que os caminhões esmaguem o seu carro. Mas antes vou colocar o dinheiro que está aqui na caixa secreta do caminhão que está do meu lado. Isso é uma doação da sua empresa para a minha eleição. Toda a ajuda é bem-vinda. Ha Ha Ha. Agora tenho que ir. Aproveite seus últimos minutos de vida para pensar em que hospital você vai parar por não ter plano de saúde. Ha Ha Ha.


Por Adriano Siqueira


Sobre a história 
"Fator Montese" é o nome da história que unirá vários personagens que criei ao longo destes anos: Cavaleiro Valente, Lord Danny Ray I (Também conhecido como Lord Dri), Neculai, Luney (o Exorcista de Carros assombrados), Angelo Donnati (O Caçador) e a vampira Lumina. 
O Ritual Montese foi o que deu o poder que conhecemos hoje para o vampiro Neculai ser o que é, só que alguém achou este ritual e quer formar um exército que possa viajar da mesma forma do Neculai p
ara dominar vários países.
Todos os personagens desta história terão um interesse particular neste ritual e certamente isso irá gerar muitas polêmicas sobre com quem ficará ou para que fim será realmente utilizado.
 


Sobre os Personagens: 










Abraços e obrigado sempre pela leitura e apoio.
Adriano Siqueira
Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo