quarta-feira, 30 de outubro de 2019

A Bruxa Fefe chega no seu limite





A Bruxa Fefe chega no seu limite



Em uma sala fechada, repleta de azulejos brancos. Uma mulher estava amarrada em uma maca. seu rosto estava com uma máscara que só tinha um pequeno buraco para receber alimentos líquidos.
A Bruxa Fefe era a bruxa mais poderosa e perigosa do mundo. a cada pensamento os cabos ligados em seu corpo fazia com que ela recebesse uma descarga elétrica tão poderosa que a fazia desmaiar em agonia. Essa foi a única forma de impedir que ela usasse seus poderes.
Ela recebia visitas perióticas. médicos e nutricionistas da Neculai Corps. cuidavam do seu bem estar. A sua saúde era monitorada para que tenha energia apenas para viver. Isso A manteria fraca e impossibilitada de escapar.
As vezes, alguns seguranças apareciam para dar choques elétricos em seu corpo e assim eles se divertiam, pois sabiam que ela não poderia falar nada com a máscara e os efeitos dos remédios.
Todas as horas ela tentava se soltar das correntes que a mantinham presa. Balançava na maca procurando uma forma de poder falar e a sua cabeça tentava sair da máscara. todas as horas ela também só pensava em quem a colocou lá. China Girl, a esposa do Neculai. a mulher que ela queria reencontrar só mais uma vez.
Todos os dias ela sonhava com um momento de vitória sobre ela. Um momento único e significante.
Ela escuta uma conversa. alguns seguranças falando com alguém e de repente ela ouve um tiro. Ela chegou a pensar que fosse algum delírio causado pelos remédios. A porta foi aberta. A máscara não a deixava ver. Mas ela sente que havia apenas uma pessoa. abre as fechaduras e solta as suas correntes. Ele aplica um soro no braço dela. Diz que logo ela terá forças para recuperar os movimentos.
Ele retira a máscara dela e ela coloca a mão nos olhos.
A claridade era muito forte. Ela não sabia quanto tempo estava lá. Pensava em meses. aos poucos ela tentava ouvir o que a pessoa falava. sobre os efeitos das drogas passarem logo com o soro e que ela seria a arma de destruição que ele queria pois junto com o soro tinha também injetado um nanobot para disparar cargas elétricas suficiente para causar uma parada cardíaca imediata. Agora ela pertencia a ele. Era a sua arma.
Fefe tentava ver o seu rosto. tudo ainda estava bem embaçado. Ela tentava falar. mesmo sem a máscara a língua ainda estava relaxada e ela babava muito.
Ele dá água para ela e pede para tomar bem devagar. Ela não dá ouvidos e bebe muito. Logo conheça ter enjoos e começa vomitar a água toda. Ele diz que aos poucos o corpo voltará ao normal.
Dois seguranças aparecem e quando veem a Bruxa, eles pegam as suas armas e ela gesticula e diz um encantamento com sua voz rouca.
os corpos dos dois seguranças se fundem em um só transformando-os em uma criatura horrenda e mesclada com corpo e uniforme. Eles riem e tentam andar com suas quatro pernas e quatro braços. as duas cabeças coladas batem nos azulejos e eles riem. pegam as armas e sabem da sala atirando em tudo que se movia.
Ela agora consegue ver melhor. E olha para o seu "salvador" e pergunta o seu nome.
Você deve me conhecer pelas fotos. Meu nome é Victorio. Sou filho...
Ela interrompe pedindo para ficar em silêncio. Anda pela sala e começa a dançar. Os azulejos brancos da parede, começam a trepidar e rachar. Ela dança, rodopia e começa rir. rir muito. todos os azulejos saem da parede destroçados. Ela então começa levitar e se aproxima do Victorio que se encosta na parede. finamente ela para de rir e pergunta.

- Criança. Onde está a sua mãe?

Na churrascaria na avenida São João com o Anhangabaú. China Girl e Neculai estavam juntos comemorando o Dia das Bruxas.
Ele segura em sua mão e comenta.
- Temos uma família cheia de muitas surpresas. Mas é a nossa família. Mesmo que as vezes tenhamos alguns desacertos, somos felizes.
- Sim querido Neculai. É o que nos faz especiais. Somos poderosos e as vezes incompreendidos, mas temos experiência e conhecimento. Nem tudo que queríamos se realizou.
- Sim. Mas o tempo vai nos dizer o que é certo. O que deve ser feito depende de cada um. Só olhando para as conquistas do passado e os sorrisos diários é que teremos forças para dizer que vale a pena sermos assim.
Neculai pega na mão da China Girl e quando ela o puxa para beijá-lo, ouvem gritos.
Eles veem uma cena de horror. a Churrascaria estava dominada por pessoas transformadas e mescladas com talheres, caminhavam para a direção deles. China Girl aciona o seu traje e escudo. Usa a espada elétrica para afastá-los. Neculai é abraçado por uma mulher cheia de facas pelo corpo e logo em seguida o garçom que estava perfurado por muitos espetos também abraça o Neculai.
Eles tentam ferir muito o vampiro e mesmo com muita dor eles são empurrados por ele. Neculai morde o pescoço da mulher e ela o solta.
Neculai vai até a China Girl enquanto os cortes do seu corpo de fecham. E argumenta furioso.
- Meu terno está todo rasgado. Eu comprei na França. Malditos.
China Girl sorri e responde.
- Mas fui eu que desenhei essa roupa para você. A loja é sua.
-Eu sei meu amor. Por isso era especial.
A bruxa Fefe aparece bem no teto da churrascaria segurando um livro e ameaça.
- Você vai morrer China Girl. Eu sei agora todos os seus segredos. Eu vou realizar todos os pesadelos que tive com você. Quero a sua carne fazendo parte das minhas botas. Quero seu corpo como tapete na minha sala.
Neculai interrompe.
- Por um acaso. Este livro na sua mão é o meu diário?
A Bruxa Fefe ri e responde.
- Sim! Todos seus segredos agora estão comigo. incluindo seu gosto por Spice Girls.
- Era um conjunto bom.
China Girl completa.
- Não deixe que ela o intimide querido.
- Ela não me intimida. Eu sei o que quero.
A Bruxa Fefe reage furiosa.
- Eu vou dizer o que vou fazer. Vou entregar esse diário para a mídia e logo você será exposto para todos. Mas antes vou acabar com a China Girl.
A bruxa desce até o chão e gesticula as suas mãos para obter o máximo de energia e joga muitas bolas elétricas na direção da China Girl. Com a sua habilidade, ela consegue desviar das bolas de energia e desvia das explosões. Logo em seguida ela pega a sua espada energética e avança até a bruxa.
A Bruxa Fefe segura a espada da China Girl e tenta absorver a energia do seu corpo.
Neculai segura a mão da Bruxa e a puxa para ele. Que se pronuncia.
- É hora de acabar com isso.
A Bruxa Fefe comenta com ódio.
- Tem ideia de como eu fiquei esses meses? Presa como um animal. seus soldados me eletrocutavam por diversão enquanto seus médicos testavam suas drogas em mim. Olhe para mim. É assim que trata as pessoas ao seu redor? É assim que vai tratar a sua família mais tarde?
- E-eu não sabia...
A Bruxa continuava.
- Sabe quem me libertou Neculai? Foi seu..

A Bruxa Fefe começa a sentir dores de cabeça e ela olha para os dois e grita. Cai no chão sem pulsação. Neculai se aproxima e verifica. Olha para China Girl e informa.
- Ela está morta.
China Girl verifica seu corpo com a espada.
- Ela tinha um nanobot dentro do seu corpo. isso causou a parada cardíaca.
Neculai passou a mão no seu rosto e pronunciou.
- Quem seria tão sangue frio e incensivel pra usar uma arma dessa?
- Oi Pai. Eu vi o carro de vocês na porta. Que bagunça que vocês deixaram aqui. O que houve?
Neculai vê o Victorio e olha para a China girl. Respira fundo e responde.
- É uma longa História filho. Você não deveria estar na escola ainda?
- Eu sai mais cedo.

Texto
Adriano Siqueira
Maria Ferreira Dutra

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

China Girl enfrenta um Bruxo perigoso




CHINA GIRL ENFRENTA UM BRUXO PERIGOSO


Neculai fala com a China Girl apontando para a foto no monitor de sua tv.

─ Tem certeza que foi esse bombeiro que apagou todo o incêndio sozinho naquele prédio?

─ Sim Neculai. Quando cheguei no local eu o vi sair do carro de bombeiros e ele levitou até o topo e direcionou as chamas para dentro da piscina. Foi engenhoso. Ele deve ser um bruxo.

─ Sim! E todos viram. Isso pode causar problemas pois o publico quer saber quem ele é.

─ O nome dele é Rudolf. Ele gosta de ajudar e quer ensinar os seus poderes para o povo.

─ Ha ha ha! Ele deve ter lido os livros dos falsos messias que diziam a mesma coisa.

─ O fato é que ele salvou muita gente daquele incêndio.

Neculai analisa e finalmente responde.

─ Você fez amizade com ele?

─ É claro. Ele se ofereceu para ajudar no que eu precisasse. Disse que estaria disponível quando eu quisesse.

Neculai olha para a China Girl e pergunta.

─ Tem certeza que ele é seguro para andarem juntos?

China Girl ri e pergunta.

─ Está com ciumes? Quando você faz bico com os lábios, você se denuncia.

─ Não devia me conhecer tanto assim.

─ Até a Mayara e o Victorio sabem disso.

Neculai fica surpreso.

─ Não acredito que eu seja tão expressivo ao ponto de me denunciar.

Neculai pega um espelho e olha o seu rosto e faz algumas caretas. China Girl ri.

─ Já sabemos. Não adianta tentar fingir.

Neculai para e olhar no espelho e diz.
─ Mas isso é um ponto fraco. E esse bruxo pode desconfiar.

China Girl diz para o Neculai.
─ Eu vou na casa dele de noite. Acordarei às 19h assim estarei mais revigorada. Não dormi bem a noite passada.

Neculai olha para a tela do computador e analisa o Rudolf.

─ Eu acho que ele tem muitos segredos. Salvar a si mesmo. Criando esses acidentes e resolvendo depois. Vou analisar as câmeras para ver o que acho.

Quando a noite chega, China Girl toca a campainha da casa de Rudolf. Ele rapidamente atente a porta e sorri. E pergunta.

─ Você veio me buscar meu anjo?

China Girl sorri.

─ Eu só quero fazer algumas perguntas.

─ É claro. Sei que você só quer saber do meu poder. Tudo bem. Eu vou colaborar.

─ Você é uma boa pessoa Rudolfo. Eu vejo você como uma pessoa interessante de investigar.

─ Eu queria mostrar meu escritório.

Ao chegar no escritório, China Girl fica impressionada. Fotos dela em toda a parede e também muitos recortes de jornais, desenhos e pinturas. Antes que ela dissesse algo, Rudolf explicou.

─ Eu era um cara comum. Não tinha poderes. Era uma pessoa que jamais chamaria a sua atenção. Mas eu conhecia alguns produtos químicos e apliquei em mim. E assim adquiri poderes magicos e desta forma, pude conhecer você.

China Girl sabe agora que se trata de um amor platônico e que precisa cuidar disso com calma.

─ Eu certamente seria sua amiga. Gosto de pessoas boas e bem humoradas. Não precisava colocar a sua vida em risco só para me conhecer. Eu falo com muita gente.

Rudolf se aproxima e diz.
─ Mas eu queria mais do que ser só seu amigo. Sei que o Neculai dá mais trabalho pra você do que te ajuda. Ele é um cabeça dura que nunca admite seus erros. Eu li tudo sobre ele. E quando ele faz biquinho...

China Girl interrompe enfurecida.



─ Chega Rudolf. Você está obcecado. Eu amo meu marido. Com os defeitos que ele tem. Eu não sou perfeita também. Nem todos os nossos dias acordamos com sorrisos e lutamos para que no final deste dia a gente durma abraçados. Você precisa arrumar alguém que goste de você sem mudar essa pessoa. Você é uma pessoa que merece muito amor.

Enquanto China Girl falava com ele. Aciona o equipamento de escuta para que o Neculai ouça a conversa.

Rudolf bate os punhos na mesa.
─ Eu não quero ninguém. Só você. Quero estar ao seu lado. Lutar junto com você. Tenho muitos poderes.

O celular do Rudolt toca.

─ Alô! Quem está falando?

─ O marido.

Rudolf olha para a China Girl e diz:

─ Você mandou seu marido ligar?

─ Somos felizes. você precisava saber disso. Temos uma família Rudolf. Queremos continuar sendo uma boa família.

─ O que vocês querem de mim?

─ Só que pare com este amor platônico. Isso pode acabar com sua vida. Aceite que eu e o Neculai temos uma vida feliz e vamos viver muito juntos. E que principalmente, respeite minhas decisões e assim poderemos ser amigos.




China Girl estende a mão para ele, mas ele joga o seu celular pela janela e a agarra.

─ Não! Eu a quero! Vou levá-la comigo.

─ China Girl aciona a sua espada elétrica e encosta no braço de Rudolfo fazendo-o ser jogado para vários metros. Ele gesticulas suas mãos e joga uma energia para tentar tirar a espada das suas mãos.
Neculai se materializa e pega uma camisa e calça e entra na sala.
Ele voa para agarrar o Rudolf. Eles se jogam no chão e o Neculai bate duas vezes na cara e o Rudolf começa a tossir.

China Girl pede para o Neculai se afastar.
Com dados recebidos do seu escudo. China Girl descobre que o Rudolf estava morrendo. A Droga que ele inventou diminuía a sua duração de vida.



Rudolf olhou pra eles e disse.
─ Eu queria muito a China Girl. Não importava os riscos. Eu sabia que ia morrer mas isso me proporcionou uma vida que nunca tive e hoje eu pude realizar muitos desejos que tinha. Eu a tive Neculai. Por poucos minutos eu pude sentir o coração dessa mulher. E vou morrer satisfeito.



Rudolf para de falar e seus olhos contemplam a lua.

Neculai segura a mão da China Girl e ela o abraça.


Texto: Adriano Siqueira
Maria Ferreira Dutra

Desenhos
Adriano Siqueira

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

O novo estilo da China Girl






O Shopping Light, que é no centro velho da cidade de São Paulo, estava com várias promoções em produtos e serviços.
China Girl sentia vontade de ter um novo visual. Neculai sempre apreciava as surpresas de sua esposa e ele sabia também que ela era bem ocupada, mas se dedicava ao seu marido. E ela gostava de ver o sorriso dele quando ela o surpreendia. A China era um lugar distante e, além disso, o tempo era muito pequeno, para se verem. Existiam muitos assuntos a estudar e pesquisas de campo a serem realizadas.
Os dois sabem que relacionamentos assim tem que ter muito respeito e carinho pelo outro, para que este modo de vida seja algo a se aproveitar por inteiro.
Neculai, também tem seus afazeres com seus negócios e ele tem uma grande lista de tarefas. Mesmo que os dois sejam bem ocupados, China Girl sempre entra em contato para saber se como foi solucionado algum problema ou mesmo para lembrá-lo do que fazer.
Neculai dizia que estava tudo bem e aproveitava para perguntar dos filhos. Geralmente existe uma troca de carinhos entre os dois. Eles eram bem casados. Cada um tinha o seu jeito de agradar seu par. Algumas piadas ou brincadeiras e boas lembranças os faziam se sentir bem e revigorados para prosseguir o dia com maior tranquilidade.
Eles se respeitavam. Neculai sabe bem que o importante em uma relação é deixar o seu par bem a vontade, pois ele sabe que, mais tarde, passarão momentos repletos de intimidade e prazer. E esses momentos serão bem aproveitados.
Hoje, China Girl quer mudar um pouco o seu visual. E isso inclui mexer nos seus cabelos. Ela queria algo bem diferente para que o Neculai aprecie muito o novo visual.
O Salão de beleza era no quinto andar. Para subir o melhor era usar o elevador pois as escadas rolantes davam a volta em todo o shopping estrategicamente para caminhar e conhecer as promoções de outras lojas.
China Girl sobe tranquilamente pelo elevador. Porém, ao parar no quarto andar, que era onde estava a praça de alimentação, ela é surpreendida pois dois homens mascarados e armados. Muitas sacolas nas mãos e muita gente em pânico no andar.
China Girl usou seu computador ligado ao celular e verificou que havia cinco homens mascarados naquele andar. E todos eles estavam armados. Como existiam muitas pessoas no elevador ela acionou o seu escudo para criar uma porta transparente e assim proteger os que estavam dentro.
Antes dos dois homens começarem a atirar, China Girl ultrapassa a porta transparente e aciona a sua espada elétrica cortando os bracos dos dois homens armados.
Ela corre e usa as asas para se aproximar rapidamente em voos rasantes, a caça aos outros três homens restantes.
Dois deles são abatidos com sua espada de raios, mas o terceiro tentou fugir pela escada rolante e para impedir ele lança a sua espada, acertando em cheio as costas do bandido que cai até o térreo.
Aliviada, China Girl deixa um mar de sangue por todo o restaurante e ela vai até o quinto andar, entra no Salão de Beleza onde estavam todos querendo saber sobre o assalto, mas ela ignorou e disse tranquilamente.
Eu quero um novo visual para o meu cabelo. Preciso muito alisar o cabelo e deixar bem a vontade para o meu marido Neculai.

Mais tarde no apartamento. Neculai abre a porta e vê a China Girl sentada no sofá da sala com o cabelo liso e um roupão de banho.
Enquanto o Neculai sorri e olha atentamente para o seu novo visual, China Girl usa o ser charme e pergunta onde poderia encontrar um filme chamado Drácula 2000.
Neculai sorri ela se aproxima e o abraça. Eles se beijam e deitam no sofá.

Texto:
Adriano Siqueira
Maria Ferreira Dutra

Musicas
https://youtu.be/O_WLw_0DFQQ

https://youtu.be/wcLNteez3c4

https://youtu.be/-CmadmM5cOk

https://youtu.be/5RDSkR8_AQ0

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

MAYARA - A Caçadora de Bruxas






MAYARA A CAÇADORA DE BRUXAS
ESCRITO POR: ADRIANO SIQUEIRA E MARIA FERREIRA DUTRA

Mayara estava na mesa da cozinha foleando um livro sobre bruxas. Ela estava absorvendo dados em seus monitores virtuais e comparando com que já existia na internet.

Sua mãe. A China Girl, se senta ao seu lado e o Sidoire, do outro lado da mesa, lia o jornal. E ele comenta.

A tecnologia de vocês é muito interessante para ver filmes e jogos. Mas nada se compara a um bom jornal. Aqui tem palavras cruzadas e horoscopo do dia e ainda os resultados da loteria em um papel só. Minhas patas me impedem de ter um celular. E...

Mayara interrompe. Sidoire.

'Você é mesmo uma criatura estranha. Hahaha."

E ele responde.

"Vocês deveriam aproveitar mais a vida. Deveriam fazer pesquisa de campo conversando com Bruxas de verdade."

Mayara pergunta.
'E aposto que você conhece uma não é?

Sidoire sorri e responde todo convencido.

"É claro que conheço. Tomamos um café ontem na casa dela. O nome dela é Rebeca. O endereço está na agenda. pode ir lá. Diga que fui eu que te indiquei. Grave uma entrevista com una bruxa de verdade."

Mayara pede autorização para a China Girl e ela só diz para voltar antes de escurecer.

Mayara chega na casa da bruxa, ela estava vestida com uma saia vermelha e preta. O seu cabelo era liso e vermelho. a bruxa parecia ter uns 40 anos. Elas se apresentaram e Mayara foi convidada a entrar.
A bruxa tinha uma risada muito alta e era contagiante.

Mayara fica na sala enquanto a Rebeca traz alguns salgadinhos. Elas conversam por duas horas. Uma conversa muito agradavel e com muito bom humor.

Rebeca sente que a Mayara tem um grande poder que mistura a tecnologia com a natureza e que este poder faria muita coisas maravilhosas para este mundo.

Mayara agradece e comenta.

"Hoje foi uma tarde esplendida. Conheci uma adorável bruxa e ela me cativou, me deixou muito mais informada do que qualquer livro. Sidoire tinha razão, fazer pesquisa de campo é muito mais prática do que teoria. Se aprende muito mais.'

Mayara sai contente da casa de Rebeca e leva uma proteção de energias variadas em um cristal.

Ao voltar para casa ela ouve gritos e se esconde atrás de um carro.

Havia na sua frente um carro forte e os seguranças estavam flutuando no céu enquanto os sacos de dinheiro flutuavam para um carro.

Mayara percebeu que eram duas mulheres de óculos escuros que mexiam as suas mãos controlando uma magia de levitação.

Mayara deveria chamar os seus pais. Mas naquele momento ela estava tão fascinada por estas bruxas que ela só pensava em detê-las.

Ela tirou do bolso o seu cristal e fez uma rápida análise no seu monitor virtual. Verificou que existia muitos tipos de cristais dentro da pedra e todas tinham uma finalidade interessante mas que ela levaria um bom tempo para aprender.
Então ela pegou a pedra e apontou para a bruxa que estava controlando os sacos de dinheiro.
A bruxa recebeu um choque elétrico e os sacos de dinheiro caíram no chão e ela começou a levitar. Deixando ela em pânico e começou a gritar.

Isso fez com que a sua parceira bruxa parece de levitar os seguranças e correr para dentro do carro com dinheiro e fugir.

Mayara jogou o cristal no meio da rua e quando o pneu passou por cima a força do cristal fez com que o carro tombasse. E logo em seguida, a parceira bruxa caiu em cima do carro forte.

As duas foram presas e a Mayara pegou o cristal que estava no chão e viu que tinha muito a estudar sobre ele.


Escrito por Maria Ferreira Dutra e Adriano Siqueira.


terça-feira, 15 de outubro de 2019

China Girl enfrenta a Bruxa Fefe



Doces e travessuras

No escritório do vampiro Neculai, a Deise entrega um buquê de flores para ele. Com essa surpresa, ele pergunta.

─ Rosas? Que interessante. Hoje em dia é raro enviar rosas para um homem. Quem enviou?

─ No cartão...

Me dá Deise. Eu quero ler.

─ Não, a China Girl não vai apreciar. Eu vou jogar fora.

─ Mas Deise, deve ser só uma fã.

─ Fãs não dizem que você será dela, assim que ela aniquilar quem estiver no caminho. Isso para mim é ameaça.

─ Quem mandou?

─ Bruxa Fefe.

─ Que nome estranho! Acho que é um trote. Afinal ameaçar a China Girl tem que ter a vassoura torta. Hahaha.

China girl entra no escritório e comenta.

─ Olá meu amor. Que lindas flores.

─ São para você.

A Deise tenta avisar o Neculai mas ele continua.

─ Eu vi e achei que deveria te dar.

A Deise tenta novamente avisar mas ele ignora.

─ Eu sempre lembro de te dar flores e...

China girl interrompe o Neculai pra falar.

─  E... vem com cartão da Bruxa Fefe.

Deise fala com o Neculai.

─ China Girl viu essas flores na sala de espera antes de eu te entregar Neculai.

─ Sim. Claro! Eu estava brincando.

China Girl olha para o Neculai. E avisa.

─ Não brinque com isso. Ela pode ser perigosa querido. Como eu que estou gentilmente pedindo uma explicação detalhada sobre essa Bruxa Fefe.

─ Ah. Eu não conheço.

China Girl repete.

─ D-e-t-a-l-h-a-d-a!

─ Tudo bem. Certo ok. Deise. Um Martini seco.

Deise pega um Martini e trás até o Neculai. Enquanto ele conta a história.

─ Eu queria pegar um rapaz que tinha colocado dados do meu celular para o mundo. Eu queria dar uma lição nele. Então eu liguei e quem atendeu foi essa Bruxa Fefe. ao invés dela ficar com medo. Ela se apaixonou por mim e disse que iria me buscar um dia. Não importa quem estivesse no caminho.

China Girl comenta.

─ Ela parece lunática. Alguém assim pode fazer qualquer coisa. Deveria ter falado Neculai. Poderíamos ser pegos de surpresa.

─ Já faz um bom tempo. Nem achei que ela estava falando.

─ Se ela mandou flores. Ela está te ameaçando e isso merece uma investigação.

─ Eu posso resolver isso. Fiquem tranquilas.

─ Acho que você deve ficar aqui protegido. Me passa o endereço que você tem dela. Vou averiguar para ter algumas pistas da sua bruxinha.

Neculai completa.

─ Ela é perigosa. Tem muitos poderes. Foi a única vitima que não consegui exterminar ela...

China Girl complementa.
─ Ela não me conhece. Vou fazer ela comer essas ameaças. E vou fazer isso agora mesmo. Ninguém ameaça o meu marido.

China Girl pega o endereço da Bruxa Fefe e voa até o local.

O local parecia uma casa antiga e abandonada. portas e janelas abertas e quebradas. Aparentemente estava mesmo sem ninguém. Mesmo assim China Girl entrou. E verificou tudo com muito cuidado.
Quando ela chegou no quarto haviam muitos corpos sem vida.
Ela ficou muito preocupada. Acionou todos os escudos do seu traje especial e continuou a pesquisar o local com cautela. Até que ela ouve gargalhadas e risos e vinham do sótão da casa.

Ela desceu e quando colocou o pé no primeiro degrau. Todas as portas e janelas fecharam.

China Girl pegou a sua espada elétrica e isso iluminou todo o sótão. Andou em frente ate encontrar um altar feito de pedra.
Uma mulher que tinha uma roupa muito escura e uma capa se virou e ficou de frente com a China Girl.
E ela perguntou.

─ Onde está o Neculai? O meu vampiro.

China Girl levanta a espada e adverte.

─ Eu não quero saber quem você é. Mas se chamar meu marido de "Seu" vampiro, eu vou cortar a sua cabeça.

A Bruxa desafia e olha bem nos olhos da China Girl.

─ Eu domino os poderes da natureza. Eu sou a enviada da lua. Eu tenho...

China Girl completa.

─ Eu tenho pouca paciência para bruxinhas como você. Eu posso te dar uns doces ou travessuras pra você comemorar o Dia das Bruxas e depois para de atormentar o meu marido. Entendeu?

Enfurecida a Bruxa sobe novamente no altar e se transforma em uma criatura horripilante.


O mostro cospe fogo e a China Girl se defende com seu escudo elétrico. Isso causou uma carga elétrica muito forte.
Isso fez com que o monstro fosse derrotado. Ele desmaia e o no seu lugar aparece a Bruxa Fefe.

China Girl liga para o Neculai e pede reforços para capturar a Bruxa.


História de
Adriano Siqueira e Maria Dutra


segunda-feira, 14 de outubro de 2019

O mistério do rapaz que entrava nas árvores



O mistério do rapaz que entrava nas árvores
A aventura máxima de Victorio e Mayara Desade.

─ Veja Mayara! Ele está voltando. Eu sabia. Todas às noites ele vem até este local e fica olhando aquela árvore. E quando ele dá uma volta nela, ele desaparece.

Mayara olha para o seu irmão e sorri.

─ Então você acha que a árvore engole ele Victorio?

─ Sim! De alguma forma. Eu acho que ele tem algum poder. Por isso chamei você. Ele é meu colega de classe. Aparentemente é um cara normal.

Mayara acessa as suas telas virtuais em busca de alguma pista e encontra algo.

─ Existia um índio que tinha o poder de entrar nas árvores. O nome dele era Krainé. Ele usava as árvores como um transporte.

─ Está me dizendo que o meu colega de classe usa as árvores como transporte público? Ou um táxi? Como ele consegue isso Mayara?

─ Não tenho muitos dados mas pelo que sei. Esse Krainé faleceu e o poder dele foi passado para um rapaz que era um descendente. Pode ser esse seu colega.

─ Espera Mayara! Abaixe! Tem um cara roubando a bolsa de uma mulher. Ele está vindo para cá.

Quando o ladrão passa pela árvore. Aparece uma perna que sai de dentro da árvore e o ladrão tropeça e cai todo machucado. A mulher pega a sua bolsa e vai embora. O ladrão tenta se levantar, mas a perna aparece novamente acertando o queixo do rapaz que cai inconsciente.

Victorio grita.

─ Pode sair da árvore. A gente já te viu.

O rapaz sai da árvore e e vai ate a Mayara e o Victorio e pergunta.

─ Vocês estavam me vigiando? O que querem?

Mayara responde.

─ Estamos apenas curiosos. Queremos saber mais sobre você. Também temos poderes. Eu tenho uma mente que simula computadores e telas virtuais de pesquisas e o meu irmão tem força telecinética.

O rapaz responde.

─ Eu sou Fernando. Sou único herdeiro de uma tribo que conhecia os elementos das florestas. Esses poderes que tenho, só a minha tribo tinha. Eu posso realmente passar de árvore em árvore.

Mayara interrompe e fala pro Victorio.
─ É como o nosso pai o Neculai. Que faz isso com o celular. Só que, com ele, é com árvores. Que interessante.

Fernando complementa.

─ Neculai? Eu conheço seu pai. Ele queria me ajudar a não deixarem cortar as árvores, isso tem um risco muito perigoso. Quando viajo dentro da árvore, aparecem um monte de luzes e cada luz é uma árvore. Mas só as que tem mais de trinta anos. Por isso é importante sempre plantar árvores. O seu pai quer que eu ensine os alunos a viajar por elas. Isso ajudaria muito no transporte de cada um.

Mayara fica admirada com a ideia e diz pro Victorio que essa seria uma ótima forma segura de viajar e ter um futuro melhor.

Eles se abraçam e vislumbram um mundo melhor.

Por Adriano Siqueira e Maria Dutra




sábado, 12 de outubro de 2019

Vamos escrever uma historinha?



Olá  criançada!

Meu nome é Madefite, sou uma ferramenta para escrever, desenhar e riscar papel. Meu nome é Madefite pois sou um lápis  feito de madeira e grafite.

Tenho muitos amiguinhos que vocês irão gostar de conhecer: a borracha, o lápis de cor similar a mim, ot apontador e o caderno de escrita ou desenho.



Eu e meus amiguinhos gostaríamos de estar hoje e diariamente com vocês.

Que tal nos levarmos para casa e juntos construirmos uma linda história desenhada ou escrita. Peça para seu responsável nos levar e crie uma linda história nos utilizando, faça um pequeno livrinho  e  presenteie alguém com a sua história escrita ou desenhada.



Eu e meus amiguinhos gostaríamos de ler a sua história.


Envie a sua história para o email Siqueira.adriano@gmail.com com o assunto "histórinha" que colocarei aqui nesta postagem.

Abraços e feliz Dia das Crianças.
Vale qualquer idade pois todo mundo é criança. \o/

Está postagem é uma iniciativa da escritora Maria Dutra e eu (Adriano Siqueira)  fiz os desenhos.


sexta-feira, 11 de outubro de 2019

A guerra do Victorio Desade - família Desade




A guerra do Victorio Desade

"Das sombras eu saí.
Do mal eu corrompi.
Do bem eu construí."
Victorio Desade




Em seu trono no mundo em que domina, Victorio conversa com os seus animais criados para Servi-lo.

─ Hoje crianças, foi um dia divertido. Meus animaizinhos foram a terra e deram muito trabalho para o povo da terra. Falta pouco para eles se renderem ao meu poder. Ou vou destruir todas os pontos turísticos de lá. Mas antes eu preciso aperfeiçoar meu sinal. Os satélites que estão em volta da terra tem sinais ilimitados para a quantidade de ataque que quero fazer. Transportar minhas crianças em grande quantidade é impossível agora. Apenas três de cada vez. Porém. Meu pai tem um aparelho poderoso. E eu quero pegar emprestado. O bestificador era utilizado para que ele pudesse aparecer até no Alasca. Com essa ampliação direcionada em todos os satélites eu terei controle absoluto da Terra.
Meu pai, usou o  ritual Montese para se transformar no vampiro tecnológico. Eu melhorei este ritual. Melhor dizendo. Meu amigo melhorou. Haha. Acreditem ele me desafiou e tive que eliminá-lo. Mas tudo bem eu não tenho nada mais contra ele. Haha. Enfim. Agora eu posso viajar como o meu pai faz. Mas eu mantenho as roupas do corpo e ele não. Haha. Deve ser constrangedor pra ele.
Mas hoje. Hoje terei a chance de colocar as mãos no bestificador. Afinal eu sou um herdeiro do reino do Neculai Desade e embora ele esteja mais passivo, o filho dele. EU! continuarei o seu legado de destruição e poder de uma forma muito mais rápida do que os planos dele.
Meu pai queria que o mundo o elegesse com um dono supremo da Terra. Ele achava que tudo que bastava, era conquistar o povo aos poucos. Mas isso levaria anos para se concretizar.
Ameaçar e fazer terrorismo tem um resultado muito mais rápido e assim escravizaremos todos.
Meu queridos animais. Hoje vamos iniciar o domínio de Victorio sobre a Terra.

Na escritório do Neculai, China Girl olhava para a janela enquanto Mayara tentava circular o caminho seguro para ir até o mundo do Victorio.

Neculai se aproxima da China Girl  e coloca as mãos no seu ombro. Ela sorri e coloca a sua mão na mão direita e comenta.

─ O que fizemos de errado? Victorio sempre foi um filho que cuidamos com afeto e carinho. O mesmo dado para todos os filhos que temos.



Neculai comenta.
─ Cada personalidade interage de forma diferente em cada um. Não foi culpa sua o que aconteceu e nem minha. Cuidamos de todos de forma igual. Porém cada um tem seu próprio modo de pensar e Victorio era muito interessado em guerras e dominação. Ele adorava estudar tudo sobre isso.
Uma pena ele querem usar esse conhecimento de forma tão arbitrária.
─ Temos que impedi-lo querido. Precisamos acabar com essa ideia absurda dele querer escravizar mundos.

Mayara interrompe.

─ Mãe. Victorio sempre foi assim. Lembra quando ele saía pra floresta que veio do outro mundo? Sidoire viu que ele não ficava no lugar seguro. Ele ia para o fundo da floresta. O lugar que era desconhecido ainda.

China Girl comenta.
─ Será que foi lá que o Victorio achou a entrada para este mundo onde ele está?

Neculai pega o seu terno e responde.
─ Só tem um jeito de saber. Eu vou neste lugar e usarei o celular como sensor de energia. Qualquer novidade eu aviso. Fiquem aqui. Tenho a impressão que nosso filho quer mais alguma coisa.

Neculai beija a China Girl e abraça a sua filha.

Depois que Neculai sai do escritório. Mayara comenta com a mãe.

─ Victorio quer mostrar que é melhor que meu pai. Muitas vezes ele chamou meu pai de fraco. É uma rivalidade forte entre eles. Não tenho nada contra Victorio ser o próximo Neculai.

─ Seu pai tinha orgulho do Victorio. Ele queria mesmo que o legado fosse dele. Mas essa loucura toda vez o Victorio imaginar que ele estava pronto. Mas ele só tem quatorze anos. Ele não pode ter poder sem ter juízo pra controlar este poder. Tenho receio que ele se machuque Mayara.

Mayara abraça a sua mãe e diz:
 ─ Mãe ele está cruel. Matou o amigo dele é transformou o outro em um animal de estimação. Victorio está perverso.

China Girl ouvia o depoimento da sua filha sobre o Victorio às maneiras erradas de ver a Terra como uma grande sujeira. O jeito como a vida era nociva e desgastante. Os governantes apoiando as desigualdades. As vezes eu via o meu pai nele porém, muito mais cruel e sem ouvir os outros.

China Girl complementa.
─ Eu preciso falar com ele antes que o seu pai o encontre.

A porta do escritório abre e o Vitório aparece com um guarda armado. Ele caminha sorridente para a sua mãe e diz:

─ É fácil ter aliados. É só prometer cargos elevados e bom salário. Todos tem o seu preço. Mãe, Mayara. Não quero fazer nada com vocês. Eu só quero o Bestificador.




Mayara é a primeira a falar.

─ Mãe esse aparelho vai triplicar o poder ele. Assim ele pode trazer os seus monstros em qualquer parte do mundo e em grande quantidade. Imaginem monstros saindo do celular em todo o mundo. Seria o fim da terra.

China Girl olha para o Victorio e diz.

─ Qual o motivo disso tudo filho? Dominar o mundo? Ser dono das propriedades dos outros? Roubar da própria família?

─ Mãe. Eu amo minha família. E honro o nome Desade. Mas olha como está este mundo? Esse lugar precisa de uma boa faxina. Você me ensinou que devemos lavar nossos talheres após a refeição. E eu vou fazer isso assim que eu ter o controle absoluto disso tudo. Vou limpar tudo. Deixar organizado. Mas para isso muitas coisas vão mudar. E será o nosso reino da familia Desade. Seremos todos respeitados muito antes dos planos do meu pai.

China girl  tenta dialogar novamente mas ele interrompe.




─ Soldado. Localize o bestificador com este aparelho.

O soldado acha rapidamente o bestificador e eles são transportados pelo celular para o seu mundo.

Mayara sorri para sua mãe e comenta.

─ Deu certo. Ele fez exatamente como precisamos. Estou com a trilha do caminho que ele usou no celular. Essa trilha também passa na floresta onde o papai esta. Isso explica a conexão do ritual Montese com o portal da floresta.

 ─ Temos que ir então filha. Seu pai deve estar a caminho deste mundo e eu não quero que ele se machuque. Victorio está bem mais poderoso que o seu pai.

─ Existe um problema mãe. Os nossos poderes não vão funcionar no mundo do Victorio. Mas o poder dele também não funciona. Nem o do pai. Será difícil de lutar com aqueles monstros que dominam o mundo dele.

─ Como teremos poderes lá?

─ O ritual Montese mãe. No mundo do Victorio ele não vai transformar a gente em um Neculai, mas trará nossos poderes de volta. E eu sei onde está guardado. Eu conheço todo o lugar de lá. Assim que acharmos teremos poderes para deter essa insanidade.


Por Adriano Siqueira e Maria Dutra
Desenhos Adriano Siqueira
A saga contínua.






A grande lição - conto infanto juvenil




A  Grande Lição

Texto: Maria Dutra e Adriano Siqueira

      Marcelo era um menino muito travesso, na escola gostava de pregar peça nas outras crianças e todos os dias aprontava uma travessura.
 Aline sempre era a primeira aluna a chegar na classe, todos os dias. Mas nessa quinta feira, foi a última aluna a chegar e só tinha um lugar na classe para se sentar e o lugar era do lado do Marcelo.
Aline olhou meio desconfiada com receio de se sentar do lado do amigo, mas Marcelo se levantou educadamente e a convidou a se sentar. Ela pensou " como ele está simpático hoje"! Aline aceitou o convite com um lindo sorriso e um obrigado. Ele então se levanta e ajeita a cadeira para ela se sentar. Aline arruma a mochila na carteira e ao se sentar; pimba! Marcelo puxa a cadeira e a Aline cai de bumbum no chão. A classe inteira rir da situação.
 A professora chama a atenção do Marcelo e o manda para a secretaria.
 No dia seguinte Marcelo entra no banheiro onde o amigo Saulo se encontrava, paga uma caixinha de estalinho e joga no banheiro assustando o amigo e todos que estavam ali. Marcelo sente dor na barriga de tanto rir do susto que eles tomaram.
 As vezes escondido dos pais ele leva umas máscaras de mostro  para assustar os amigos e um dia no refeitório no horário do almoço ele pregou uma peça no Henrique, que ao abrir o armário de pratos do refeitório  da de cara com uma máscara assustadora. Quem era?! Ele mesmo o Marcelo, Enrique se assusta e com o grito de medo sai  correndo assustando todos que estavam presente.
 Os pais do Marcelo viviam sendo chamados na escola e Marcelo como punição ficava  uns dois ou três  dias sem poder frequentar a sala de aula, tinha que fazer todo seu dever na secretaria.
A professora de ciência passa um trabalho em grupo e nesse grupo estavam: Saulo, Aline, Reginaldo e Samanta que resolvem chamar o Marcelo para fazer parte também.
 A reunião de estudo foi marcada na casa do Saulo a tarde e depois todos dormiriam lá. Seu Aristides, pai do Saulo é marceneiro e gosta de fazer peças diferenciadas.
 Saulo e seus amigos o pedem algo inusitado; um armário e uma penteadeira bem leve com dois buracos nas laterais e no fundo, dois buracos na porta do armário, uma cadeira com fundo falso e uma cama com movimentos vibratório.
 A noite cai e com ela uma chuva  muito forte com muitos raios e relâmpagos, Saulo diz para o Marcelo que ele teria que dormir sozinho visto que seus amigos sentiam receio das brincadeiras dele; ele como um menino que não tinha medo de nada aceita numa boa.
 Marcelo já se encontrava dormindo até que por volta das 11:30 h todas as luzes se apagam e muitos ruídos terríveis são ouvidos no quarto : booo, rec-rec-rec, os móveis se mexiam, andavam , tinham cabeças , braço e pernas.
 Marcelo acorda assustado, é a primeira vez que ele demostra  medo de alguma coisa. A cama o abraça cheia de mãos, muitas imagens de monstro aparecem nas paredes do quarto.
Marcelo apavorado chamava pelos amigos, mas ninguém apareceu  para ajudá-lo, ele força a porta do quarto na tentativa de sair mas esta estava fechada e ele não conseguia sair de lá. Então Marcelo resolve enfrentar o seu medo e pega um machado que se encontrava no quarto e começa a golpear os móveis, enquanto isso ele é puxado para dentro do armário, em pânico ele luta com aquele monte de braços, panos ele não sabia com que ele estava lutando realmente. Conseguindo sair de dentro do armário ele continua  golpeando os móveis. Tudo isso  acontecia em meio a escuridão. Todos os móveis  se aproximavam dele e ele gritava  e se arrepia de medo.  Marcelo corre para um canto do quarto se senta encolhido grudado a uma parede, um dos amigos acende a luz, todas as crianças saem de dentro do armário, da cama, da cadeira e Marcelo olha para a cara dos amigos assustado. Marcelo percebe que aquilo foi uma lição que ele recebeu dos amigos.
A cara de pânico dele era tão visível que os amigos ficaram com pena e disseram que nunca mais revidaria uma situação dessa maneira, Marcelo responde que estava tudo bem e que ele mereceu o que eles fizeram. Todos se abraçaram e Aline mostrou para o Marcelo que o machado era de brinquedo e por isso nem ele nem ninguém saiu machucado.
O quarto ficou uma bagunça e tudo que estava no quarto e virou lixo, foi levado para o quintal no dia seguinte, e seu Aristides fez uma fogueira com todo aquele entulho e todos ficaram assistindo o fogo queimando. E enquanto isso as crianças conversavam sobre a noite de terror e que haviam se  arrependidos dessa  brincadeira macabra .

Nunca mais Marcelo foi o mesmo menino terrível, todos os dias ele chegava na escola cumprimentava os amigos, professores, diretores entre outros não se viu Marcelo fazendo nenhuma estripulia, passou a tirar notas boas e dois anos depois  recebeu o diploma  de melhor aluno do ano em comportamento, ciência, história e geografia. Foi o melhor presente que  os pais  puderam receber naquela formatura.

Texto: Maria Dutra e Adriano Siqueira.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

A Cadeira do Demônio- contos de terror




A cadeira do demônio
Roteiro: Maria Ferreira Dutra
Texto: Adriano Siqueira


Thiago estava na loja de antiguidades e procurava algo especial para incluir nos acessórios da sua festa de Dia das Bruxas.
Ele procurava algo que deixasse os seu amigos impressionados.

Depois de olhar por mais de meia hora finalmente achou uma cadeira. Ela parecia uma cadeira normal, mas nas sombras dela aparecia um rosto demoníaco.

Ele ficou impressionado e logo adquiriu a cadeira para dar um susto no seus amigos.

Ele passou no caixa da loja e ao levar a cadeira ele recebeu um conselho.

É só para enfeite. Não deixe ninguém sentar nela.

O Thiago riu. Achou que o caixa estava brincando com ele.

Quando chegou em casa os seus pais tinham saído. Ficariam dois dias fora e isso foi ótimo pois a festa de hoje iria ser o máximo.

Thiago tinha 17 anos. Conhecia muita gente. Era apaixonado pela Ângela que sempre estava na roda dos seus amigos.

Ângela era uma boa garota que atraia muito o Thiago. O sorriso e seu jeito sempre alegre de falar. Tinha uma risada muito marcante.

De noite, o pessoal foi chegando aos poucos na sua casa. Todos trouxeram guloseimas e refrigerantes. A mesa estava cheia de coisas para comer e alguns levaram filmes de terror e também músicas com clima bem fantasmagóricos.

Tudo estava correndo muito bem. O pessoal estava animado.

Thiago percebeu que Ângela estava se divertindo. Ele segurou a mão dela e disse que queria mostrar uma surpresa. Ângela sorriu e foi com ele até o quarto.

Ele mostrou para ela a cadeira. Ele explicou que parece comum mas ao passar a luz da lanterna nela, a sombra mostrava uma figura demoníaca.

Ângela gostou tanto do truque que ela sentou na cadeira para ver melhor a imagem. Thiago tinha esquecido completamente o aviso do dono da loja.

De repente Ângela começou a se mexer demais na cadeira o seu rosto e seus braços e pernas ficaram desfigurados e ela fez muitos movimentos e gritos insanos.

Thiago tentou ajuda-lá, mas ela jogou o seu corpo para outro canto do quarto.

Ângela se levantou saiu do quarto.
Logo Thiago escutou gritos de pavor e medo. O desespero do pessoal da festa causou muitos gritos e os barulhos foram diminuindo até ficar em puro silêncio. Thiago estava apavorado. Ele fez a única coisa que podia. Destruir a cadeira. Ela era responsável por tudo que aconteceu aquela noite.

Thiago levantou a cadeira, nas foi agarrado por trás. Era Ângela coberta de sangue. Ela gritava para ele fazer sexo com ela.

Thiago levantou a cadeira o máximo que pode e arremessou na parede. Depois pisou na cadeira e a quebrou completamente.

Ângela gritou e liberou uma fumaça preta de sua boca e caiu no chão sem sentidos.

Thiago sentou no chão e pensou como iria explicar tudo o que aconteceu naquela noite.


Roteiro: Maria Dutra
Texto: Adriano Siqueira


quarta-feira, 9 de outubro de 2019

A revanche de Mayara Desade


A revanche de Mayara Desade 
Por Adriano Siqueira e Maria Dutra
Ilustração Adriano Siqueira 

─ Segure direto a corda ou as roupas vão cair. 

Mayara falava com seu monstro de estimação. Ele era um chimpanzé com a cabeça e os pes de pato. Ele segurava a corda de um lado enquanto Mayara amarrava a corda em um tronco. 

─ Pronto. Agora fizemos mais um varal. Espero que está corda que fizemos com cipó seja mais resistente. 

Mayara estava em uma chácara. Era um lugar pequeno naquele mundo estranho onde estava. Mas em quatro anos, dentro daquele local. E sem os seus poderes, aprendeu a sobreviver.

Estava tudo bem. Ela é sua criatura estavam entrando quando ela ouve um barulho de um cavalo se aproximar. Mayara Fez um careta e foi até o portão.

Era o seu irmão Victorino. Ele desmontou da sua criatura que tinha o corpo de cavalo e a cabeça de um tigre. 

Victorio pegou a sua moeda mágica e tirou o campo de energia que circulava e protegia a chácara, abrindo a prisão. 

Ele sorri para a irmã, mas ela se afasta dele. 

─ Puxa Mayara. Não vai abraçar o seu irmão? Eu tenho cuidado tanto de você. 

─ Por quatro anos você me mantém presa aqui Victorio. Eu ainda não entendi o motivo. 

─ Hahaha! Mas é tão simples. Com você aqui nossos pais perdem poderes para me localizar. Se você estivesse com eles iria rapidamente descobrir meus planos de conquista e eu falharia. Mas eu sou inteligente e prender você aqui deixa eles perdidos e sem saber como me encontrar. 

─ É muita loucura achar que vai vencer nossos pais Victorio. 

─ Eu consegui enganá-los até agora. Eu sou um bom ator para um menino de 14 anos. 

Victorio vai até a sua criatura é joga uma caixa pra ela. 

─ Pode ficar com isso. Foi a avó que deu pra você. Meu laboratório não achou perigoso. Estou te devolvendo. 

─ Eu quero sair daqui Victorio. 

─ Infelizmente não poderei atender este pedido. A propósito a primeira missão deu certo consegui mandar alguns monstros para a terra graças ao ritual Montesse que roubei do nosso pai. Foi tudo muito bem. Eles saíram dos celulares de algumas pessoas e deixou muita gente em pânico. Mas os nossos pais conseguiram deter as nossas criaturas e estamos produzindo mais. 

─ Essas criaturas foi você que as criou? Eu pensava que faziam parte desse mundo desconhecido. 

─ Sim! Eu sou um gênio. Eu trouxe algumas criaturas para cá e meus dois amigos criaram um soro através dessas árvores mágicas e aplicamos nos casais de animais que trouxemos e os filhos já nasceram com essas misturas de DNA. Eu modo fiquei todos geneticamente. Agora são meus filhos. Pois os animais que eram os pais, morreram pelas próprios filhos. A natureza é tão misteriosa não acha? 

─ Eu acho que você merece uma surra Victorio. Como pode fazer algo assim. Uma "Ilha do Dr Mureau" neste mundo desconhecido.

─ Eu achei esse mundo e matei os animais aqui. E me tornei o rei deste lugar e vou dominar a terra. 

─ Nunca. Você não consegue amarrar o cadarço dos sapatos sozinho. Não diga bobagens. 

─ Eu aprisionei você aqui por quatro anos. Eu poderia ter feito pior. Então não me provoque Mayara. Esse seu mascote era antes um dos meus amigos. E ele me traiu. Veja agora como ele está. Eu desenvolvi uma boa dose para aplicar nos humanos e você não quer se transformar em um deles não é? 

─ Claro que não quero Victorio. 

─ Então não me provoque irmã. 

Victorio volta para a sua criatura e a Mayara pega a caixa que a avó tinha lhe dado e leva para dentro da chácara enquanto o Victorio aciona o campo de força novamente e volta para o seu castelo. 

Mayara abre a caixa e tira uma bolsa de dentro. Ela examina a bolsa. Estava vazia. Mas a sua avó havia dito que esse presente era especial. Mayara entendeu isso como uma magia. De alguma forma funcionaria só com ela. Por isso Victorio não achou nada de estranho. 

Mayara passou no dia todo tentando desvendar o mistério daquela bolsa e descobriu algo fantástico. Ao colocar a alça da bolsa em seu ombro quando ela Av Rui a bolsa viu uma luz dentro e era uma luz azul muito forte. 

Ela pegou uma pedra e jogou dentro da bolsa. 

Mayara notou que a pedra não foi para o fundo da bolsa. Ela havia sumido. Isso fez com que ela pensasse que aquela luz azul poderia ser uma porta. Um transporte. Mas para onde?

No escritório do Neculai a Deise estava passando as papeladas para ele assinar quando de repente uma pedra sai do seu celular e quebra o vidro da janela. 

Neculai olha para a Deise e os dois dizem a mesma coisa. "MAYARA"

Rapidamente Neculai pega o celular e liga para China Girl.

─ Meu amor temos pista da nossa filha. E veio como uma pedra no meu celular hahaha!

Mayara estava tentando adivinhar onde a pedra tinha ido. Qual era o caminho. E ela lembrou que o Victorio falou do Ritual Montese. Então o ritual foi o que transformou o seu pai no vampiro Neculai. A pedra e a bolsa pegaria essa mesma carona? Ela tinha que arriscar. 

Mayara colocou a bolsa aberta no chão e novamente o raio azul apareceu. 

Ela tomou impulso é mergulhou. 
Passou algum segundo e de repente caiu no colo do seu pai. 

Os dois se abraçaram. 

China Girl também tinha acabado de chegar no escritório e viu a Mayara. Eles não acreditavam. Depois de quatro anos. Agora estavam juntos novamente. 

Mais tarde depois de tudo explicado sua mãe e seu pai ficam muito decepcionados com o Victorio. Mas a Mayara pede para que eles disfarcem para assim poderem pegar o Victorio e ele voltaria para casa em breve e ele não sabe que ela escapou. 

Sei pai concorda e vai esperar o Victorio na porta. 

Victorio sai do carro da escola e encontra seu pai de braços cruzados.  Ele percebe que tem algo errado e pega o celular e aponta para o Neculai. 

Dentro do celular sai um Monstro com a cabeça de jacaré em um corpo de uma águia do tamanho de três metros. 

Enquanto o Victorio foge, Neculai corre da criatura. Entra no elevador e quando a cabeça do jacaré entra ele trava a porta. 
Neculai liga para China Girl e avisa para ajuda-lo. 





China Girl chega em segundos e tira o Neculai do elevador e depois joga a criatura lá até a equipe do Neculai chegar. 

Neculai pede para que toda a segurança localize o filho dele. 

Mayara tenta localizar o irmão através da suas telas virtuais, mas era inútil. Não havia nada sobre o Victorio. Ele deve ter conseguido voltar ao seu mundo. 


Por Adriano Siqueira e Maria Dutra. 




segunda-feira, 7 de outubro de 2019

O grande desafio da China Girl

Saga - Victorio, o rei dos mundos
Parte 1
Por Adriano Siqueira e Maria Dutra



─ Por favor mãe deixa eu tirar mais uma foto com o celular?

─ Tudo bem filha, mas tenha cuidado.

A menina estava encantada com o leão que soltava jatos d'agua no mar. Elas eram turistas em Singapura. Um lugar onde existem muitas maravilhas como uma enorme roda gigante e o Marina Bay Sands Hotel onde existe uma navio piscina no topo que liga três prédios.

Toda feliz, a garota tira as fotos do leão. Mas algo acontece com o celular que começa a tremer. Ela solta o celular que cai no chão e a usa mãe fica preocupada. E vê o celular pular sozinho no chão. Ela se assusta e afasta a filha do celular.
Um flash de luz começa a aparecer do celular e logo em seguida mãos monstruosas com garras saem da tela e logo em seguida,uma cabeça de elefante e um corpo de gorila com asas, sai do celular e começa a voar.
O monstro causa pânico e todos começam a correr e alguns gravam no celular a monstruosidade que tinha mais de dois metros.
Ele vai até a estátua do leão e destruí com sua tromba e depois coloca a tromba na água e começa a soprar causando  grandes ondas de choque que faz com que todos saiam das ruas pois estava tudo começando a encher de água.
O elefante alado começa a voar e vai até o hotel Marina.
O elefante coloca a sua tromba na água da piscina e começa a causar grandes ondas fazendo com que a água entre nós três prédios.
Todo mundo gritava é tentava sair do local.
De repente o rabo do elefante é agarrado e ele é jogado para fora da redondeza do prédio.
A China Girl segura o navio para que ele não se desloque do prédio enquanto o seu filho Victorio controla a estrutura para não rachar.
Em pouco minutos estava todo resolvido.
Victorio olha para a roda gigante e vê o monstro tentando destrui-lá puxando com a sua tromba e avisa a sua mãe.
Ela vai até o elefante e o aguarra. Traz ele até uma grande cela que estava em um caminhão da Neculai Corps.
Em seguida, ela liga para o Neculai.



─ A criatura esta presa querido.
─ Bom trabalho para vocês. Vou mandar analisar a criatura é ver como ela conseguiu este poder.
─ Ele tem o mesmo poder de teletransporte que você tem no celular. E você conseguiu detectar isso antes dela chegar aqui. Deve estar usando o mesmo caminho que vc faz. Isso deveria ser impossível.
─ É verdade minha adorada. Eu ainda estou analisando como foi que tudo isso aconteceu. E o que é pior. Parece ter mais três criaturas chegando. O foco deles pelo jeito são pontos turísticos.
Estou vendo que uma energia está de mobilizando para a Muralha da China e outros dois para o Egito. Vamos ter que nos dividir. Eu posso cuidar do egito.


─ Estou a caminho da Muralha da China. Quero que fique aqui Victorio para garantir que este navio e os prédios estejam seguros.

China girl voa até a China acionando equipamento ultra sônico. Normalmente um avião leva sete horas em linha reta mas nunca é assim pois existem ponte aérea que pode levar até nove horas de viagem. Mas o equipamento instalado em sua armadura faz com que ela viaje mais rápido que o som podendo chegar em menos de uma hora.

Quando China Girl chega na Mulhara encontra muita gente correndo e um homem estava gritandovque o monstro saiu do celular dele.
China Girl vê uma criatura de 15 metros de largura. Corpo de jacaré com a cabeça de um lobo. Ele estava batendo o rabo em toda a muralha causando muita destruição.
Ela usa a espada de raios para conter a criatura monstruosa. Mira os raios nos olhos da criatura. O lobo se irrita e joga o seu rabo na China Girl e ela aguarda o rabo e joga a criatura para fora da muralha.
Logo em seguida ela aprisiona o lobo misturado com jacaré e chega vários carros da Neculai corps. para prender a criatura.

Ela liga para o Neculai para ver como ele está se saindo com as criaturas, mas ele não responde.
Preocupada ela vai para o Egito.

Quando chega nas pirâmides ela vê o Neculai enrolado em monstro que era uma mistura de um macaco de cima ateca cintura e depois era um grande corpo fe cobra e tambem outra criatura com uma forma de girafa com pescoço de cobra.

Estavam apertando o corpo do Neculai.
China Girl usou a espada e com choques conseguiu afastar as criaturas do Neculai que estava desacordado.
Ela segura ele é finalmente ele desperta e olha para ela é diz.
─ Estou no céu meu anjo.
Ela sorri e responde.
─ não conseguiu se livrar dessas minhocas?
─ eram minhocas vitaminadas.



Mais tarde no escritório. Neculai foi até o chefe de segurança. E conversa.

─ Sabe Alberto. Eu pedi para que meu ritual fosse bem guardado. Assim ninguém usaria para ser o próximo Neculai. Mas você foi ganancioso. Eu sei. Dinheiro é tudo pra pessoas pequenas. O vkdeo gravou vc roubando. Nao o video da deguranca qye voce desligou, mas as câmeras de vídeos escondidas que só eu sabia onde estavam e como desligar. Só quero saber quem está com o Ritual Montese e onde ele está.

Eu não vou entregar ninguém. Ele pega uma arma e tenta a tirar no Neculai mas ele é mais rápido e atira no segurança e seu corpo é jogado pela janela.



Mais tarde no apartamento. Victorio abraça a sua mãe. Ele diz que estava com saudades da sua irmã Mayara e China Girl responde.
─ não vamos desistir de procurá-la Victorio.
─ Mas já faz quatro anos mãe. Queria que ela estivesse aqui.
─ Eu também Victorio.

Ao abraçar novamente Victorio sorri e se satisfaz pensando em seu plano perfeito e sem suspeitas.

Por
Adriano Siqueira e Maria Dutra.




Coração em Questão - Maria Dutra



CORAÇÃO EM QUESTÃO

Texto: Maria Dutra
Agradecimentos ao apoio da Simone Galvão de França 
Arte: Adriano Siqueira 

A rainha Catarina estava grávida do rei Renato e deu a luz a um bebê.
Ao ver a criança, os pais a rejeitaram, pois ela havia nascido com a Síndrome de Down.
Os pais queriam tanto um filho homem para tomar conta do reino e achavam que aquela criança não seria capaz.
Então eles mandaram a parteira Vera dizer para todos que o filho havia nascido morto.
Com isso nenhuma mulher poderia o amamentar então Vera o deixou ser amamentado por uma cabra durante 2 meses num  lugar bem escondido de todos. Quatro vezes ao dia Vera ia visitá-lo.
Certo dia Vera toma coragem de sair do reino e resolve levar a criança para casa com ela e disse para os reis das cabras o haviam devorado. Vera deu o nome de Joaquim a esta criança.
Os reis nem se importaram e mais tarde tiveram duas filhas. Joaquim cresceu e estudou com muito esforço.
Quando os reis ficaram mais velhos e doentes, mandaram chamar um médico, mas nao havia nenhum no local e chamaram então o enfermeiro da região. Quando o enfermeiro chegou, Renato e Catarina se recusaram a serem atendidos por ele. Foi quando eles foram informados que aquele era o único enfermeiro que estava mais próximo deste local e os outros demorariam muitos dias para chegar.
O enfermeiro assistiu os dois durante três meses. Os reis perguntaram de onde ele era e em seguida o elogiaram dizendo que ele era mesmo muito bom enfermeiro e que gostariam que ele fosse, de agora em diante, um membro da família, um amigo, quando este então responde. "Eu nasci nesse reino e fui banido, abandonado e esquecido".
Vocês não gostavam da minha pessoa, porém eu aprendi a amar, cuidar e respeitar à todos igualmente, e penso que assim fazendo, posso ensinar através de meus atos, que vocês também podem amar, respeitar à todos.

Eu fui cuidado e amado pela parteira Vera que com todo carinho e amor pôde me proporcionar uma vida linda de amor e esperança.

Eu jurei cuidar dos meus pacientes e assim vou fazer.

Eu, mesmo sabendo da história real da minha vida, perdoo seus atos, agradeço o convite para ser um membro da familia, porém peço que me permitam continuar cuidando de todos e não exclusivamente do vosso Reinado, pois o verdadeiro reinado é a vida de todos e a minha coroa é o meu coração livre para fazer o bem, sem olhar a quem.

 -------- Fim ‐------

Nunca duvide da capacidade de alguém, ela pode te surpreender.

Texto: Maria Dutra
Agradecimentos ao apoio da Simone Galvão de França que também ajudou a revisar.
Arte: Adriano Siqueira

Música para o tema.
https://youtu.be/W8cT7yOdkqA 

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Mayara e a caixa de surpresas




Mayara e a Caixa de Surpresas

História infanto juvenil escrita por Maria Dutra


Segunda feira 21 de outubro de 2019  15:35h.

Mayara e Victorio chegam  da escola e veem um carro da Neculai Corps e dentro um monte de caixas.
Os dois saem correndo chamando pelos pais, pois estavam curiosos para saberem do que se tratava.
— Mamãe, papai, cadê vocês?
— Olá queridos da vovó. Eles ainda não chegaram.
— Huuum! Que cheirinho gostoso de doces é esse vovó!? Está perfumando a casa inteira.
— Lembra que prometi ensinar a você, o Victório e a China Girl a fazerem sobremesas e doces saborosos?
— Lembro sim vovó, e aquelas caixas dentro do carro da empresa do papai o que são?
— São esse doces que estou fazendo minha netinha linda igual a mim! Enquanto vocês estavam na escola, eu fui me adiantando, pois preciso fazer em grande quantidade    enquanto eu faço os empregados embalam e as levam para o carro.
Victorio comenta:
— Ano passado meus amigos comentaram que a festa era muito legal e que tinha muitos doces, eu fiquei babando naquele monte de açúcar. Huum que delícia!
— Mayara! Dias atrás você comentou que nunca participou da grande festa, mas pode deixar minha netinha querida, eu já venho conversando com seus pais sobre isso, eu também acho que já está na hora de vocês participarem dessa festa.


Dona Helena pede para os netos para ajudá-la na preparação das maravilhas açúcaradas.
As gostosuras que os adolescentes mais gostavam nesse evento eram; as balas: espreme que salta, em formato de olhos, que foram feitas para serem entregues ao rapaz ou a moça que disserem estar de olho nele ou nela; Os chicletes puxa puxa e não termina, em formato de bocas e um metro e meio de língua, foram feitos para os adolescentes que não encontrarem uma boca para beijar se enrolarem  com a língua que tem, os pirulitos congela sorrisos, em formato de dedos; foram feitos para as pessoas que receberam a bala espreme que salta, chupar com um sorriso em sinal de que foi aprovado e podem curtir a festa juntos. Já o pirulito a outra metade, é um pirulito feito para mostrar para ele ou ela em sinal de que não aceitou a bala aperta que salta e por isso ainda esta procurando a outra metade; uma forma de dizer, bye bye, parte para outra.
Equanto os três faziam os doces, Dna. Helena explicava para os netos de onde vem a tradicional festa. "Sabe meus netos! A festa de halloween é uma celebração típica da cultura norte-americana Estados Unidos;  o Canadá, Escócia, Inglaterra e a Irlanda também comemoram esta data, eu já participei muito dessas festas, até mesmo já ajudei na organização de festas na minha escolas. Aqui no Brasil o halloween entrou em nossas comemorações de forma tímida e é chamado de festa do Dia das Bruxas.


Mayara estava muito empolgada com a força que a vó dava para eles participarem da grande festa, pensava qual roupa ela e o Victorio usariam pela primeira vez em uma festa de Halloween...

21:48h.
China Girl chega em casa e os filhos correm para falarem sobre as novidades do dia:

— Mamãe, mamãe! Hoje ajudamos a vovó a fazer os doces para a grande festa; fizemos, balas, pirulitos, chiclete...
— Calma crianças! A mamãe acabou de chegar. O pai de vocês também chegou, mas está conversando com os segurança da transportadora lá fora.
— Mamãe! Eu e o Victório ajudamos a vovó a fazer os doces e nem assim a senhora vai nos deixar participar da grande festa?
— Minha filha! Eu já conversei com a sua avó. Acho muito perigoso vocês sairem para essas festas.
— Mas por que mamãe!? Eu já tenho doze anos e todos os meus amigos nessa idade já estão cansados de participarem desse evento. Eu falei com a vovó que a senhora não iria nos deixar participar! Isso é muito injusto! Todos os meus amigos da escola estarão lá, e depois irão ficar zombando por mais um ano por eu não ter participado. Dirão que: " a protegidada do papai e da mamãe ficou em casa, enquanto todos nós nos divertiamos! Hahaha". É isso que eu vou ouvir de novo...

Mayara vai para o seu quarto dormir chorando e sua avó vai acalentá-la e aproveita para lhe dar um presente e pede para que ela o guarde com muito carinho, pois só os melhores dos melhores seres poderiam possuir aquele presente.
Mayara abre a embalagem e, muito surpresa, diz para a avó que naquela embalagem não havia nada.

A avó responde que tudo tem o seu momento certo e que era para ela guardar aquele presente com muito amor e cuidado; dá um beijo na testa da neta, apaga a luz e vai para o quarto do Victorio, o cobre e também lhe dá um beijo na testa, mesmo já estando dormindo.

Manhã do dia seguinte, terça-feira, 22 de outubro de 2019   6:00h.

China Girl se levanta e vai até o quarto da Mayara e a acorda com uma linda canção composta por ela mesma:

"O brilho dos seus olhooos irradiam as manhãaaaas
Pássaros vem nos visitaaar.
Borboletas coloridaas em nuvens a se formaaar um lindo arco-íris a passaaar...

Mayara sorrir, mas logo emburra a cara dizendo:
— Eu ainda estou triste mamãe! A vovó não te convenceu.
— Vai tomar banho e se arrumar, o café já foi posto a mesa, sua avó já se encontra lá embaixo.
China Girl vai ao quarto do Victório, mas ele já havia acordado sozinho e já estava no banho apenas pede para que desça para tomar café após o banho.

Todos terminam o café e Neculai leva as crianças para o motorista particular os levarem para escola, em seguida segue para o seu escritório.
China Girl não vai trabalhar nesse dia. Ela fica em casa com a sogra.
— China Girl! Eu não estou acreditando que você não irá deixar as crianças participarem da grande festa.
— Eu não tenho a pretensão de entrar nessa conversa de novo Dna. Helena.
— Espero que até o dia da festa você tenha mudado de idéia! Não tem jeito! Uma hora vai ter que acontecer mesmo.

China Girl liga para a secretária Deise.
— Bom dia Deise! Estou ligando para não esquecer de entrar em contato com a imprensa e com a prefeitura para saber sobre o alvará do evento.
— Bom dia China Girl! Quanto as documentações não precisa se preocupar, já está tudo em ordem e já entramos em contato com a imprensa também.
— Muito obrigada Deise,  você merece um bom presente, depois conversamos sobre isso. Abraços.
— Obrigada China Girl , faço tudo pela Neculai Corps. vocês são excelentes profissionáis. Abraços.

28 De outubro. A grande festa se aproxima e Mayara sempre chega da escola triste, vai para o seu quarto faz suas tarefas da escola, mas fala muito pouco com seus pais.
Dna. Helena sempre está por perto para consolá-la, já o Victorio, não se preocupava mais se iria ou não na festa, para ele, era mais interessante passar algumas horas visitando a floresta que tanto encantava a Mayara. Levava seu celular e seu computador para a floresta.

21:35h. China Girl chegou em casa. Mayara estava sentada no sofá estudando e Victorio em seu quarto jogando no computador , China Girl pede para Victório descer pois precisava conversar com os dois.
— Então meus filhos! Essa semana eu, seu pai e sua avó conversamos bastante sobre vocês participarem da grande festa. Eu não gostaria que vocês participassem, pois tenho muito receio do que pode acontecer no dia das bruxas, mas como esse evento é organizado pela Neculai Corps., eu os deixarei participar e torço para que tudo corra muito bem nesse evento.

China Girl abraça os filhos, Mayara dá pulos de alegria, beija e abraça muito a sua mãe e agradece:  "Muito obrigada mamãe. Eu te amo de mais"! Mayara também dá um abraço na avó e diz que ela é a melhor avó do mundo.
Victorio porém, não parece ter ficado muito feliz, vai saindo da sala sem falar com ninguém, volta para o seu quarto e continua a usar o computador.
Dona Helena sorriu para a China Girl e comentou o quanto a neta ficou feliz e que tinha certeza que a noite do dia 31 seria uma festa linda e que a Mayara jamais iria esquecer.
Na manhã do dia 28 as crianças acordam, tomam café e vão para a escola.
Mayara conta a novidade para todos os amigos mas, alguns debocham dela achando que ela estaria blefando, pois nem na escola ela participava das festas.
Victorio também contava a novidade para os amigos do segundo e terceiro ano, os quatro vão para o laboratório de química que fica no segundo andar da escola e ficam conversando lá.  Mais tarde a China Girl passa na escola e pega as crianças para comprarem as fantasias deles e acaba levando umas fantasias de saci-pererê para as crianças que por ventura pudessem aparecer sem fantasia.

CHEGOU O GRANDE DIA

Neculai Desade chega com a família no evento e faz seu discurso:
— Boa tarde pessoal! A empresa  Neculai Corps. junto com a prefeitura e a secretaria de cultura e turismo, realizam hoje, quinta-feira, 31 de outubro de 2019 a nossa primeira festa de halloween, que tem início agora ás 17:00hs.
Eu e a minha família, gostaríamos de agradecer a toda autoridade aqui presente, os moradores aqui de São Paulo e os que vieram de outras regiões para prestigiar o nosso evento.
Nós começamos a planejar esta festa em março deste ano. Nosso trabalho foi realizado com muita dedicação e afinco, do primeiro ao último dia, tudo para que hoje pudéssemos dar início, a esse evento que já tem mais de mil pessoas e essa contagem só vai aumentar.
Termino aqui o meu discurso desejando á todos muitas diversões, onde teremos como atrações:

Banda de rock,
Músicas de Halloween,
Maquiagem de terror,
Concurso de melhor fantasia com desfile e premiações,
Concurso de aboborá mais assustadora e criativa também com desfile e premiações.
A cada brincadeira nas barracas, todos saem com seus brindes temáticos.
Visita de atrações assombradas para maiores de nove anos,
Encenações teatrais de terror,
E a última atração: o corpo de baile da Escola Lauro Efázio aqui de São Paulo,  com temática de Dia das Bruxas.
E lembrando que a comida e a bebida é por nossa conta.

O local já estava enchendo e muitos da escola da Mayara e do Victorio já estavam presentes.
Mayara encontra suas duas  melhores amigas.

— Oi Asucena! Oi Flora! Estão lindas!
— Você também está linda com essa fantasia Mayara! Eu e a Flora fomos as primeiras a chegar?
— Por enquanto eu só vi vocês, mas o espaço é grande e está muito cheio. Daqui a pouco esbarraremos com mais alguém. Ali , ali o Alfredo, o Kaique e o Vinicius estão naquela barraca. Vamos lá falar com eles?
— Vamos sim né Asucena!?
— Meninos, Meninos!
— Oi meninas! Vocês também já chegaram?
— Não Alfredo! Eu a Mayara e a Asucena ainda estamos em casa você só esta tendo uma miragem.
— Mayara você veio mesmo! Estou besta! Hahaha! Não acredito! Pela primeira vez eu vou ter a oportunidade de ficar com essa gata linda. Pera ai! Vou ter que passar na barraca de doces para pegar aquela bala aperta que solta para dizer que estou de olho em você. Alfredo e Vinicius, nem tentem ficar com ela... Hahaha! Hoje vou tirar o selinho da boca da Mayara.
— Deixa disso Kaique, eu lá estou procurando algum namorado? Se liga!
— Hahaha! Se queimando com a filha do vampiro e o dono da festa, muito sem noção! Quer que eu pegue o pirulito a outra metade? A gata te dispensou!
— Deixa de ser mané! Pelo menos eu tentei e você e o Vinicios só pegam resfriado. Vão pastar! Hahaha!
— Mayara cadê o seu irmão? Não pode deixar o moleque sozinho! Andam dizendo que ele está visitando muito o laboratório de química com o pessoal do segundo grau. O garoto vai ser fera em química heim!
— Não sei Kaique, deixei ele com meus pais, mas pelo que sei, ele gosta mesmo é de engenharia eletrônica.
Mayara chama os amigos para dar uma volta pelo parque.
— Olha ali, a jornalista com a Carolina Bezerra.
— Sério Flora!
— Sim Mayara! Vamos só observar, não quero que ela me veja agora...

 Jornalistas entrevistas:

J - Boa noite, qual é o seu nome e quantos anos você tem?
C -  Boa noite, meu nome é Carolina,tenho 13 anos.
J - O que você está achando do evento?
C - Estou achando muito bom, tem bastante gente e muitos gatinhos aqui.
J - Tem muitos gatinhos mas você ainda não encontrou o seu né? Estou te vendo com o pirulito a outra metade?
C - Sim, é por que eu e minhas amigas acabamos de chegar, tem uns 15 minutos e eu ainda estou a observar.
Carolina ri e a jornalista continua a perguntar.
J - Tá certa Carol, vai que você pega um agora e mais para frente encontra um mais bonitiho! Ai já era né?
A jornalista ti e pisca para a Carolina e ela responde sorrindo.
C - Claro que não! O local aqui é grande, dou uma enrolada no gato e vou para o outro lado do evento a procura de um outro gatinho.
J - Oh! Menina! Toma jeito! Espero que a sua mãe não esteja assistindo essa reportagem. Adolescentes nos dias de hoje!
A jornalista da um sorriso irônico e a Carolina continua.
C - Não está assistindo mesmo! Deve estar perdida em algum lugar aqui da festa. Qualquer coisa ela me liga.
J - Esses namoros hoje em dia...! Obrigada pela entrevista Carol, curtam a festa da família Desade e muitas diversões para vocês.
C - Tchau Renata e obrigada por me entrevistar.

Claudinei, amigo da Mayara, se encontra na tenda de maquiagem de terror fazendo uma de Pop Art.
Mayara cumprimenta Claudinei e entra na fila com os amigos para fazerem a maquiagem, ela escolhe uma maquiagem de pônei bem colorida, já os demais escolheram, caveira, múmia, capetinha, bruxa e vampira.
Todos teminam a maquiagem e quando um olha para a cara do outro não se aguentam de rir
Mayara fala para o Claudinei que ele ficou lindo com aquela maquiagem de vampiro chorão.


Enquanto as crianças se divertem pelo parque Neculai e Chinar Girl dão entrevista para os jornalistas.
Dna. Helena passeia pelo parque olhando as novidades e bate de frente com a Mayara, percebe que o Victorio não está com ela.
— Mayara! O Victorio não está com você?
— Não vovó, desde que eu sai de perto de vocês no início da festa, eu não o vejo.  Deve estar em alguma tenda de jogos com os amigos.
— Tá bom minha netinha querida vou ligar para a sua mãe e perguntar por ele. Beijo querida; e a proposito já está paquerando algum gatinho? Lembre-se de pegar os doces que fizemos e espero que você não fique com o chiclete puxa puxa. Tantos amiguinhos lindos por aqui!
— China Gil! Você sabe onde está o Victorio?
— Oi Dna. Helena, á uns dez minutos eu liguei e estava na fila da visita da atração assombrada, pelo tempo já deve estar fazendo a visita.
Está bem China Girl.

19:30h. é anunciado o concurso de fantasia e da abóbora mais assustadora e criativa para as crianças que se inscreveram nessa atração:
— Melhores fantasias.  Primeiro lugar, o ganhador: Josias Matheus, com a fantasia de sasi-pererê leva a premiação de mil reais, o segundo e terceiro lugar levam um cheque de 500 reais cada um.
Ganhadores das abóboras mais criativas e assustadoras. Primeiro lugar a ganhadora é a Ivone Bezerra Silva, da Escola Lauro Efázio. Leva o prêmio de mil reais também e o segundo e terceiro lugar levam 500 reais cada um. Os ganhadores desfilam no palco e agradecem os prêmios.

Ás 20:00h.  entra no palco a encenação teatral de terror com: A MARCHA DOS ZUMBIS ou ZOMBIE WALK e para finalizar o evento, é chamado ao palco o corpo de ballet.
China Girl liga para o Victorio para ele ver a apresentação da irmã, mas ele diz que já estava cansado de ver os ensaios na escola e pergunta se ele poderia contiuar nos brinquedos com os amigos pois já sabia tudo que iria acontecer.
Neculai fala com o filho e diz que ele pode continuar brincando, desde que dê notícias caso saia de lá.

Começa a apresentação do ballet, Mayara olha para a família na platéia e põe-se a dançar lindamente. Todos ovacionam a apresentação.
Mayara se apresenta sorridente e emocionada. China Girl  fica preocupada com tamanha emoção da filha e comenta com a Dna. Helena e com o Neculai: Já são 21:00 hs. Não vejo a hora dos ponteiros pregarem a meia noite, já chegando ao dia primeiro de novembro.
De repente Mayara começa a se sentir, tonta, com frio, com fome; suava, não conseguia se equilibra. Um campo de luz colorido e muita luminosidade a cerca confundindo a platéia que achava que tudo fazia parte do espetáculo, mas a família  Desade sabia que não.
China Girl se levanta desesperada dizendo para Dna. Helena " Eu avisei! Eu nunca quis que meus filhos participassem dessas festas de halloween!  Essa não é uma data segura para os filhos de vampiros com seres humanos sairem de casa, principalmente na idade em que os meus estão. Sabemos que na idade  entre 10 e 15 anos, eles passam por transformações, sabiamos que se ela ficasse muito, empolgada, anciosa, emotiva algo de bom ou ruim poderia acontecer,...

Pois ela é uma dhampir mistura de humano com vampiro e essa combinação de sentimentos no dia 31 de outubro pode levar a mutação das células.
Em meio a toda aquela luz aparece uma grande névoa dizendo para a Mayara: A minha vida aqui na terra era curta e eu precisava de alguém de coração tão bom quanto ao seu para continuar o meu trabalho de polinizar o amor, o carinho entre esse e o outros mundos. Eu sou a Dora, a sua fada madrinha. Assim como seus pais tomam conta de você eu também recebi essa missão para iluminar os seus caminhos. Agora que você está prestes a completar 13 anos você já pode fazer parte do mundo das bruxas  boas. São as chamadas bruxas fadas.  Hoje você está recebendo essas lindas asas coloridas que poderão te levar para onde você desejar, e ao passar dos anos outras mudanças poderão acontecer.
Aproveite minha menina, vc foi a escolhida.

A festa toda para, todos observam aquele fenomeno. A imprensa corre para registrar tudo.

— Sim caros telespectadores. Não é um truque de efeitos especiais. Uma menina está com asas e ela está no palco. Esse momento está sendo registrado para todo mundo. Mas... Esperem. Vejam. Ali. Filma tudo. Mostra ali a multidão. Tem algo lá.

Em meio a multidão, aparecem três criaturas sobrevoando o parque, cheira as pessoas, uma confusão e pânico toma conta de todos.
Neculai liga desesperado para o filho que não atende, China Girl não sabe o que fazer, Dna. Helena se desespera e segura a mão da neta.
E na frente do palco onde estava a Mayara, Aparece uma grande  e forte criatura com grandes  garras, asas e a leva com ela, ao céu.


A policia que estava no local reagiu mas o medo de acertar a Mayara os fizeram parar de alvejar os mostros.
E assim, Mayara desaparece no meio da multidão.


                                                            Fim

Por Maria Ferreira Dutra